domingo, 19 de junho de 2011

MARIA PIA FINÓCCHIO visita a OMB/CRESP




MARIA PIA FINÓCCHIO – Presidente do Sindicato de Dança do Estado de São Paulo visita a OMB SP e recebe o novo livro do Presidente Roberto Bueno, junto na foto Dr. Helder ao centro.
www.sinddanca.com.br

24º CIHAT


A OMB participou do 24º CIHAT - Congresso Internacional de Hospedagem e Turismo no dia 26 de abril no Palacio de Convenção do Anhembi – Auditório Elis Regina, quando na oportunidade William Fernando aproveitou para conversar com o Ministro do Turismo Pedro Novais sobre a nova Ordem dos Músicos do Brasil. Maiores informações no http://www.abresi.com.br/

LEILA SILVA

Leila Silva - Cantora


Uma grande cantora que deixou seu talento marcado na MPB,visitou a OMB/CRESP e foi recebida pelo Presidente Roberto Bueno para contar as novidades.
Para recordar seus grandes sucessos acesse www.youtube.com.br e procure por LEILA SILVA CANTORA.

MAESTRO NEVES

Maestro Neves



Em visita a OMB /SP o Maestro Neves fez questão de posar com sua carteira da OMB, para mostrar a importância da mesma para os futuros candidatos ao exercício da profissão.

ELTON FRANS LANÇA NOVO CD


O jornalista ELTON FRANS está lançando seu novo Cd.
O roqueiro que foi companheiro de Raul Seixas em muitos momentos, está produzindo um videoclipe para a faixa
“Perigos na Cidade”. Em breve nas lojas!

WANESSA RECEBE HOMENAGEM DA ORDEM DOS MÚSICOS - CRESP

Wanessa recebe homenagem da OMB/CRESP


No show realizado na casa The Week, Wanessa recebeu o diploma de Honra ao Mérito da Ordem dos Músicos do Brasil OMB/SP, representada no ato pelo William Fernando, pelos serviços prestados a música brasileira. Parabéns !
Wanessa esbanjou simpatia e fez uma performance maravilhosa com lotação esgotada.

FELIPE VIOLA

Felipe Viola
Com apenas 18 anos já é um exímio violeiro.
Estudou com Arnaldo Freitas, considerado o Melhor Violeiro do
Brasil, é integrante da Orquestra Paulistana de Viola caipira – SP e acompanha Mariangela Zan nos shows pelo Brasil.

http://www.orquestradeviola.com.br/

FIORAVANTE: SANFONEIRO FELIZ

Natural de Ribeirão Preto, Fioravante já participou de gravações com Rio Negro & Solimões, Liu & Léo, Juliano César, Ataíde & Alexandre,
Lucas & Luan entre outros. Como solista intérprete tem 10 cds gravados e inúmeras coletâneas em várias gravadoras.
Atualmente faz shows e bailes por todo Brasil ao lado de vários artistas.
Para animação de festas juninas, gravações e arranjos.

(11) 3362 3424 / 7463 4858
http://www.sanfoneirofeliz.com.br/

CONSELHO DE CLASSE

Emerson Santos - agente de segurança OMB/CRESP
Por: Emerson Ap. F. Santos
Coordenador de Segurança da Ordem dos Músicos do Brasil - CRESP

Você precisa de alguém que te dê segurança
Senão você dança, senão você dança...

Como na música “Segurança” da Banda Engenheiros do Hawaii, a segurança pode ser comparada com outros conceitos: ética , transparência , responsabilidade, continuidade, confiabilidade e comprometimento. A segurança privada é o ramo que trata de medidas de proteção para as corporações e indivíduos. Para proteger a si, sua família, seus empregados, seus bens e seus interesses, nos limites permitidos pela lei.

Com o aumento da violência e a insegurança, ocorreu um grande crescimento no setor de segurança privada no Brasil, que em 2010 movimentou cerca de R$ 15 bilhões. De acordo com a Polícia Federal, existem 452 mil seguranças legalizados no país. O número é superior ao de policiais militares, com efetivo total de 411 mil. Este número também supera o efetivo total das Forças Armadas, que é de 320 mil. Um fenômeno ocorreu também na área musical. Em 1990, havia 50 mil músicos profissionais no Brasil, em 2010 esse número saltou para mais 360 mil.

Esses grandes números de profissionais, necessitam de um órgão representativo. Por isso a grande necessidade da área de segurança, é ter o seu próprio Conselho de Classe. Com ele, o exercício da atividade e a defesa da sociedade sob a ótica do exercício da profissão, seriam apenas por profissionais, devidamente habilitados.
Diferentemente da classe dos músicos que já possuem o seu órgão, a Ordem dos Músicos do Brasil; Lei Nº 3.857 de 22 De Dezembro De 1960.
Com os futuros eventos internacionais a serem sediados no Brasil, como a Copa de 2014 e as Olimpíadas em 2016, a tendência é aumentar ainda mais os dois Setores.
Uma vertente do crescimento, tanto na música como na segurança é o aumento da clandestinidade. Curiosos mal preparados e sem talento, ocupando lugares de profissionais. Para se ter uma idéia: penas 10% dos músicos possuem emprego formal, já na segurança apenas 16% estão legalizados. Daí a vantagem de se ter um Conselho de Classe.

Toda profissão define-se a partir de um corpo de práticas que busca atender demandas sociais, norteado por elevados padrões técnicos e pela existência de normas éticas que garantam a adequada relação de cada profissional com seus pares e com a sociedade como um todo.
Parabéns à todos os profissionais da música e da segurança.

Dia do Profissional de Segurança Privada—20/06
Dia do músico— 22/11.

Revista Músico! n. 10 - Junho/11

ANTONIO AGUILLAR & THE CLEVERS

Fotográfo, jornalista, radialista e grande empresário artístico na área de entretenimento no Brasil.
www.antonioaguillar.com

História

Nos anos 60 a direção artística da Radio Excelsior e Nacional que pertenciam a Organização Victor Costa abriu um espaço na Radio Nacional de S.Paulo para a realização do programa RITMOS PARA A JUVENTUDE.

O sucesso foi tamanho que em pouco tempo já estava na televisão. A direção da TV Paulista Canal 5 sob o comando de Paulo de Gramound, abriu um espaço as 6as. Feiras à noite para uma apresentação ao vivo com conjuntos musicais e cantores da juventude.

Naquele tempo ainda não existiam os grupos musicais de guitarras. Eu utilizava o Atílio e Seu regional que era composto de um violão, cavaquinho, pandeiro para acompanhar os cantores que eram o Carlos Gonzaga que já fazia sucesso com Diana desde 1958, Nilton Cesar, Demétrius, Ronnie Cord, George Freedman, Celly Campello e Tony Campello.

Como esses cantores estariam melhor no ar com conjunto musical de guitarras elétricas, acabei formando o grupo The Jordans, com Aladim guitarra solo, Siwal guitarra base, Tony contra baixo e Foguinho bateria. Daí pra frente o programa ganhava grandes índices de audiência.

Como The Jordans ficou muito conhecido após gravar o seu primeiro LP na Som Copacabana, precisei lançar mais um grupo para acompanhar os artistas que cantavam no meu programa de televisão; Falei com o cantor Joe Primo e formamos Os Vampiros com a seguinte formação: Joe Primo, Boby Di Carlo, Zé Paulo, Jurandyr. Passado alguns meses, apareceu o guitarrista José Proveti cujo pseudônimo era GATO. Saíram Joe Primo e Boby Di Carlo e entrou o Gato mudando o nome para The Jet Blacks. Levado para a Chantecler pelas mãos de Miguel Vaccaro Neto, o grupo gravou um LP e também fez sucesso imediato, passando a viajar muito para a realização de shows, obrigando-me a formar outro grupo.

Através do meu programa da Radio Nacional de S.Paulo, Ritmos para a Juventude, (em 1963) acabei lançando The Clevers com Manito, sax, Risonho, guitarra solo, Mingo, guitarra base e voz, Neno contrabaixo e Netinho, bateria. O cantor Francisco Petrônio que era da Continental Discos, foi ao meu programa Ritmos para a Juventude e viu o grupo tocar algumas musicas e ficou impressionado com a rapaziada, que acabou levando os grupo The Clevers para gravar. Fomos para o estúdio e gravamos um 78 rpm, com as musicas Maria Cristina e El Relicário em ritmo de twist, já que esse gênero era moda na época.

O publico aderiu ao grupo comprando seus discos e o sucesso foi imediato. Depois de gravarem 4 LPs com o titulo Os Incríveis, The Clevers surgiu a oportunidade de uma viagem a Itália em companhia da cantora Rita Pavone.

Antonio Aguillar de posse do nome The Clevers que era sua patente, monta um novo grupo com Francis, Reno, Ringo, Betinho e Toni. Gravam na Copacabana Discos, No Replay versão de Norberto de Freitas SEM RESPOSTA como The News Clevers. Mais tarde foram contratados pelo BECO, uma casa noturna de São Paulo dirigida por Abelardo Figueiredo. Depois Antonio Aguillar trilhou seu caminhou na Radio Nacional de São Paulo por algum tempo e depois se transferiu para o Departamento de Jornalismo da Rede Globo de Radio e Televisão, como repórter trabalhando na cobertura de vários tipos de reportagens até chegar ao ano de 1981, quando se aposentou e mudou.

Em Rio Preto, Aguillar voltou para o Radio, trabalhando na Radio Independência AM com programas sertanejos. Depois de 14 anos em sua cidade, mudou-se para Santos trabalhando na Radio Clube de propriedade do Edson Arantes do Nascimento “Pelé”. Depois de 12 anos em Santos, retorna para São Paulo e volta a residir no bairro da Bela Vista. Atualmente trabalha na Radio Capital AM, com o programa FESTA DE ARROMBA, aos domingos das 12 as 13h30.



Voltando ao radio e fazendo o seu programa para os saudosistas dos anos 60, lança um livro pela Editora Globo, com o titulo Histórias da Jovem Guarda, escrito pela sua filha a jornalista da Rede TV, Débora Aguillar, com episódios acontecidos nos bastidores da televisão.






Revista Músico! n. 10 - Junho/11

BANDA BLESSING

Revista Músico! n. 10 - Junho/11

TAVINHO LIMMA

Tavinho Limma
Natural de Recife, radicado em IlhaSolteira/SP, é cantor, compositor, produtor cultural e agenciador da cantora Tetê Espindola. Com grande experiência no mercado musical, lança “O CANTO DOS ARRECIFES” com luxuosas participações como Oswaldinho do Acordeon, Chiquinho Almeida, Walmir Gil Eudes Fraga, Veridiana e Zé Alexandre.

Saiba mais sobre o artista no site www.myspace.com/tavinholimma

Revista Músico! n. 10 - Junho/11

NELSON DEJANE - Cantor e compositor dos Poetas Imortais

Nelson Dejane
Idealizou uma nova roupagem para as imortais poesias nacionais e internacionais.

Foram musicadas 630 poesias de 21 poetas imortais entre eles: Dante Alighieri, Shakespeare,Victor Hugo, Castro Alves, Gonçalves Dias, Fernando Pessoa, e outros; nos mais variados gêneros musicais.

O resultado inicial deste Projeto foi a gravação de um CD com 17 Poesias musicadas, com arranjos e execução instrumental de: Ribas Martins e Edélcio Minatti, que está à venda na Livraria Cultura.

Para ouvir as músicas:
www.garagemmp3.com.br/dejane-o-cantor-dos-poetas


Revista Músico! n. 10 - Junho/11

VLAD MOURA

Ele ganha a vida tocando em Shoppings Centers espalhados pela cidade. Viajou para o exterior a trabalho em um navio pela Europa, cantando músicas nacionais e internacionais. Nesta ocasião, um empresário a bordo o convidou para apresentar-se numa rede de Shoppings.
Quem pensa que músico em praça de alimentação não tem futuro, está redondamente enganado. Vlad já vendeu mais de 20 mil cd’s trabalhando e divulgando o seu trabalho enquanto os outros se divertem. Se apresenta nos maiores shoppings de São Paulo, barzinhos e shows pré agendados, que lhe garantem uma renda razoável mensal, fora o que lucra com a venda de seus CDs artesanalmente produzidos.
Como a maioria dos músicos experientes da noite, o cantor guarda na memória setecentas músicas de estilos variados e não mede esforços para atender todos os pedidos.
No ano passado, ele recebeu uma homenagem da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História, em reconhecimento ao seu trabalho.
Também é compositor, com vários CDs gravados e faz da sua arte um negócio lucrativo e agradável.
Como a maioria dos músicos empreendedores, ele mantém um site, está presente nas redes sociais, vende seu Cd pela internet e possui vídeos no Youtube. Vlad procura ter os pés no chão e planeja gravar o seu quarto Cd, aumentar a visibilidade na mídia e conquistar novos fãs.
“O sucesso é a conseqüência de muito trabalho e planejamento. O bom resultado é aquele saboreado lentamente”. (Claudia Souza)

Para conferir o trabalho de Vlad, acesse:
http://www.vladmoura.com.br/
www.myspace.com/vladmoura
www.youtube.com/user/VladMoura1

Revista Músico n. 10 - Junho/11

VAL TOMATO

O gaitista Val Tomato lançou seu DVD , gravado em fevereiro de 2010. Este novo trabalho traz em seu repertório músicas variadas de sua autoria em português e inglês nos estilos instrumental, shuffles, rock-blues, country e slows, além de pérolas clássicas do blues como The blues overtook me do lendário gaitista Charlie Musselwhite, uma releitura de San-ho-zay de Freddy King, Help-me de Sonny Boy Williansom ll e Everyday I have the blues que ficou conhecida sendo interpretada por B. B. King. Ele é reconhecido como um dos maiores gaitistas da atualidade, pela mídia e instrumentistas internacionais renomados como Charlie Musselwhite, um dos maiores mestres vivos da gaita, ganhador de 5 Grammys: “Val Tomato é um músico excelente, tenho curtido muito ouvi-lo. Gosto de seu timbre e fraseado – tudo de muito bom gosto.”

Também brilhou com participações em grandes eventos como: Festivais Sesc’n Blues; Oi Blues by night; abertura do show de Lulu Santos no HSBC em São Paulo; BSB Blues festival( Brasília); Buffalo Blues (BH), The Blues Festival (SP); Programa do Jô; Blues Etílicos, Blue Jeans, Renato Teixeira, Zé Geraldo e 14 Bis, Billy Branch, entre outros.

Val Tomato ministra aulas de gaita diatônica (blues) e cromática há 15 anos. Também lançou um método de gaita que acompanha cd.
As Aulas são ministradas na Rua Cristiano Viana, 615 (10 minuto do metrô Clinicas) no Instituto de Música Lico Candeias.

http://www.valtomato.com.br/
contato@valtomato.com.br

Revista Músico n. 10 - junho/11

O LIVRE EXERCÍCIO DA PROFISSÃO DE MÚSICO

Deputado Izalci Lucas Ferreira - Autor da emenda substitutiva
PROJETO DE LEI Nº 6303, DE 2009
(Do Sr. Zequinha Marinho)

Dispõe sobre o livre exercício da profissão de músico

EMENDA SUBSTITUTIVA

Ficam os artigos 1º, 2º e 3º do PL 6.303/2009, substituídos pela seguinte redação:


Art. 1º - A ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL é autarquia federal que exerce em todo o território nacional, a seleção, defesa, disciplina, regulamentação e fiscalização na profissão de músico.
Art. 2º - O músico é todo cidadão que faz da música uma profissão, percebendo rendimentos de qualquer origem e espécie, exercendo uma atividade econômica, podendo ter formação acadêmica através de cursos regularmente reconhecidos pelo Ministério da Educação ou mediante habilitação prática na ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL.
Art. 3º - Toda atividade econômica que envolver o exercício profissional do músico, estará subordinada à fiscalização da ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL.
Art. 4º - Fica assegurado ao músico as prerrogativas exclusivas ao exercício profissional, de forma individual ou coletiva.
Art. 5º - O pagamento da Contribuição anual à OMB isenta os inscritos nos seus quadros do pagamento obrigatório da contribuição sindical.
Art. 6º - Compete à ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL aplicar as sanções, multas e penalidades, nos moldes previstos nos Artigos 626 à 642 da Consolidação das Leis do Trabalho, atendidas as peculiaridades da profissão.
Art. 7º - Ficam mantidas as demais disposições da Lei nº 3.857, de 22 de Dezembro de 1960, não modificadas ou alteradas pelo presente Diploma Legal.
Art. 8º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

JUSTIFICATIVA

A presente emenda substitutiva visa que os Conselhos de fiscalização de profissões regulamentadas são Autarquias Especiais dotadas de personalidade jurídica de Direito Público e que a Ordem dos Músicos do Brasil, como tal, criada pela Lei 3.857/60, além de trazer em seu bojo a defesa da classe, contempla a luta dos músicos pelo reconhecimento da profissão, representando uma conquista social.

Ponderando que "Músico Profissional" é aquele inserido no mercado de trabalho, percebendo rendimentos em razão de sua manifestação artística, para sua sobrevivência e a de seus familiares, não constituindo a música simplesmente uma atividade de lazer.

Analisando o alcance não abrangente da Justiça do trabalho, no que diz respeito à tutela dos trabalhadores fora da relação de emprego, e, por conseguinte, o mercado informal desenvolve-se num cenário cada vez mais dramático.

Avaliando que o músico é um Profissional que pode figurar como empregador, empregado ou autônomo, alcançando os mais diversos tipos contratuais, respeitando as peculiaridades de cada um, seja de forma eventual, ou por prazo determinado, ou indeterminado, ou ainda, contrato de equipe, etc..., razão pela qual necessita de proteção.
Ponderando que os direitos do músico devem ser preservados e respeitados e que a Ordem dos Músicos do Brasil tenta, há anos, alterações na Lei 3.857/60 que viabilizem melhores condições à categoria.

Analisando que a relação contratual envolve não somente aspectos econômicos, mas aspectos de caráter éticos, conforme estabelece o Código de Ética Profissional, seja nas relações pessoais e compromissárias entre os membros da classe, entre os músicos e seus contratantes e, ainda, com o público e a sociedade como um todo.

Avaliando que o exercício profissional é mais amplo que a manifestação artística (art. 5º, IX da CF) uma vez que nele está contido a materialização de diversos bens jurídicos tais como remuneração, integridade física, alimentação, vestuário, saúde, a dignidade da pessoa humana, etc.; e nessa amplitude encontra-se a manifestação artística que pode ser gratuita ou onerosa e, sendo onerosa, há que se preservar, mediante imposição de Leis e sanções, a garantia, bem como o respeito ao polo mais fraco da contratação.

Sala das Sessões, em 19 abril de 2011.
Deputado Izalci Lucas Ferreira —PR/DF

Revista Músico! n. 10 - junho/11

ELENICE DUARTT

Revista Músico! n. 10 - junho/11

CARLOS SILVA

Carlos Silva - Foto: Divulgação
É poeta e cantador. Sua arte sertaneja está expressa em livretos de cordéis e poesias soltas, publicadas em vários sites. Participou da Cooperifa – movimento poético da periferia paulistana, com sua poesia no livro (rastilho de Pólvora) e no Cd de poesias, ambos publicados pelo Itaú Cultural. Seu primeiro cd demo teve a participação do parceiro Maestro Vidal França, em três musicas, sendo que uma delas é uma homenagem ao Estado de Mato grosso do Sul; duas canções em parceria com Zé de Riba, com a participação de músicos das bandas Funk como Le Gusta e Nação Zumbi. Junto com este amigo e o compositor MC Gaspar do (Z’africa Brazil) lançou o projeto Rap Imbolada, documentado em cd para posterior lançamento, aonde mostra a interatividade dos três compositores utilizando o canto falado.
Também é palestrante de literatura de cordel e já se apresentou em faculdades como Uniban – Anhembi Morumbi e Unip.

A Editora saraiva publica o seu texto ESTRANGEIRISMO numa gramática semântica reflexiva para alunos do segundo ano do ensino médio.


Conheça mais sobre o autor nos sites:
www.recantodasletras.com.br/apora
http://www.itamira.blogspot.com/
http://www.traquejo.com.br/
http://www.carlossilva.com.br/

Revista Músico! n. 10 = junho/11

1º ENCONTRO DE CULTURA E CIDADANIA

O 1º ENCONTRO DE CULTURA E CIDADANIA, reuniu profissionais de várias associações, médicos, cabeleireiros, dentistas, advogados e colaboradores, que ofereceram seus serviços gratuitamente à população de São Paulo. A Ordem dos Músicos do Brasil – CRESP, também participou do movimento, dando apoio, orientando e mostrando suas iniciativas sociais perante a comunidade, oferecendo seus cursos gratuitos de música e esclarecimentos para quem pretende ser músico. O encontro aconteceu na Praça da Sé, no dia 21 de abril e foi realizado pelo Movimento Estadual da População em Situação de Rua em São Paulo, sob a supervisão de seu Presidente, o senhor Robson Mendonça.


Revista Músico n. 10 - Junho/11

Revista Músico n. 10 - junho/11

Valentim Bianchini e Dinah Piotrowski

Valentim Bianchini
Natural de Olímpia, São Paulo, iniciou os estudos musicais em 1950.
Músico profissional desde 1958 participou de conjuntos e orquestras de baile, integrou diversos grupos regionais para trabalhos na radio Tupi e Difusora e acompanhou vários artistas entre eles: Francisco Petrônio, Jair Rodrigues, Wanderley Cardoso, Edson Cordeiro, Armando Valsani e Nino Valsani.
Durante 20 anos fez parte do Trio D´Angelo.
Gravou discos com Pascoal Raimundo da Radio Gazeta e, após se classificar no primeiro Festival Nacional de Choros, gravou com Sivuca, Evandro e outros. Em 1999 foi convidado a participar do CD lançado pela revista Viva Itália da Abril Cultural, acompanhando Fred Rovella.
Valentim Bianchini domina um repertório que inclui música erudita, brasileira de todos os estilos, como também músicas internacionais.
Valentim desenvolve um intenso trabalho como arranjador para diversos grupos, principalmente para a empresa Violino Shows desde 1999 em sociedade com a violinista.

Dinah Piotrowski

VIOLINO SHOWS é especializada em música ambiente para jantares de confraternização, congressos, coquetéis, além de acompanhar os shows dos Três Tenores Brasileiros. Tem arranjos próprios para shows de tangos e boleros com cantores e bailarinos e também é altamente especializada em cerimônias de casamento.
Violino Shows atua no mercado desde um duo, até uma orquestra completa.

www.violinoshows.com.br
Dinah (11) 3222 5625
Valentim  (11) 2231 3776

MOTORMAMA - ROCK CAIPIRA PSICODÉLICO


Banda de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, lança Aloha Esquimó, CD que contem 12 faixas do mais puro rock caipira psicodélico. O novo trabalho segue o estilo desenvolvido pelo grupo em mais de dez anos de vida: a união de elementos roqueiros com ritmos nacionais.
www.motorbanda.com.br


Revista Músico! n. 10 - Junho/11

GILBERTO MONTEIRO

Gilberto Monteiro
Nascido no extremo sul do Brasil - em Santiago, no Rio Grande do Sul, GILBERTO MONTEIRO, desde menino, despontou como um músico de raro virtuosismo. Seus ancestrais familiares, também músicos, lhe transferiram as marcas importantes que sua arte deixa facilmente a mostra. Exibem o lado mais autentico do povo gaúcho. Nelas, Ele imprime uma execução que ao longo de quase meio século de carreira, não encontra similares.
Suas apresentações arrancam os mais emocionados aplausos de todo tipo de publico e anotações elogiosas da critica mais exigente. Esta tem sido uma constante, não apenas no Brasil, mas também nas Américas Latina e do Norte, ou ainda na Europa, onde ocorrem suas atuações espetaculares.
Músicos brasileiros e do exterior tem se valido de algumas destas suas composições para encorpar seus shows e gravações. Grandes orquestras européias acrescentaram em suas execuções, obras de Gilberto Monteiro. “Milonga Para as Missões”, “ Pra Ti Guria”, “De Lua e Sol” são apenas algumas, destas suas tão valorizadas criações.
O gracioso vôo dos pássaros, a quieta vastidão dos pampas, o murmurar das águas, a quietude das matarias ou o ímpeto selvagem dos cavalos – todas estas nuanças pintam o grande painel cujas cores saltam com leveza e determinação, pela força dos acordes da sua pequena, mas tão expressiva - " gaitinha diatônica ".
E´de fato impressionante vê-lo tocando ! Quem assiste jamais esquece sua figura. Rude o necessário, como para fundir-se, num de repente, em inimitável ternura. A resultante é única – arte da melhor qualidade.
A interação gaita-gaiteiro é tamanha, que modela indissociavelmente: gaita, corpo, alma e gaiteiro. Noutros momentos pensamos que Ele com seus gestos determinados, é quem brota de dentro do pequeníssimo acordeom. Pura resultante do milagre da arte!
Não há, por mais que se queira como traduzir aqui este enorme valor. Por isto busque conhecer mais deste cavaleiro andante da arte regional brasileira chamado Gilberto Monteiro!

Contato para shows: Tels. 51.3044.2093 / 51.9352.0812
www.gilbertomonteiro.art.br—gilbertomonteiro @ globo.com
Porto Alegre - RS - Brasil

Revista Músico n. 10 - Junho/11

sexta-feira, 17 de junho de 2011

OI NOVO SOM “REALIZANDO SONHOS PELO BRASIL”

Foto: Bruno e Vieira Diretor e Liana Brauer - Diretoria de SVA

O que é o Oi novo Som?
O Oi novo som é um projeto da Oi em que visa ajudar o músico, com o objetivo de divulgar bandas independentes e, muitas vezes desconhecidas do grande público. Onde o músico se cadastra, coloca o seu release e fotos, as suas músicas, e com isso pode gravar uma entrevista no estúdio da OI Novo Som, na radio e até ganhar dinheiro com download remunerado etc.
Desde o seu lançamento, a iniciativa tem mostrado todo o seu potencial e apresentado um crescimento cada vez maior. Atualmente, a cada mês, o site contabiliza mais de 150 mil acessos e o canal no YouTube possui cerca de 1,5 milhão de pageviews. E não para por aí. Ainda neste ano, o projeto terá diversas novidades. Confira nesta entrevista com Bruno Vieira e Liana Brauer, que trabalham na Oi e cuidam dos projetos de música da empresa.

Como vocês avaliam o crescimento do Oi Novo Som desde o seu lançamento?

Liana Brauer: Para um projeto que começou do zero, partindo de uma visão da Oi sobre as possibilidades com música independente, e,um ano e meio depois, conta com 10 mil bandas e 20 mil usuários cadastrados (além de mais de 400 registros de shows e quase 100 mil faixas disponíveis para ouvir e baixar), podemos dizer que o resultado é ótimo. O Oi Novo Som já é reconhecido como um importante parceiro para novos artistas.

Bruno Vieira: Nesse pouco tempo de existência, já conseguimos ver uma grande evolução do portal - desde as bandas cadastradas, saindo do perfil de banda de garagem, como também artistas que já são consagrados pela mídia e pelo público, mas que atuam de forma independente e identificam o portal como uma grande ferramenta de divulgação de seus trabalhos. Tivemos também uma evolução da qualidade dos serviços e oportunidades que oferecemos para as bandas, como nas transmissões ao vivo que passaram a ser em HD (High Definition), a entrada do download remunerado, que abre a janela para o independente também ter sua música distribuída de forma legal e nos mais diferentes formatos como ringtones, ringbacktone e fulltracks.

Em fevereiro, o portal ganhou um novo formato. Quais foram as principais mudanças implementadas e que resultados obtiveram?

Liana Brauer: O novo formato implementado em fevereiro contempla as bandas com entregas mais efetivas dentro de um ciclo de quatro semanas de destaque, melhora a qualidade da captação de áudio e vídeo (HD) no estúdio e amplia a atuação nas redes sociais. Atrelado a ele, alinhamos a equipe de redação para gerar colunas e matérias ainda mais relevantes e disponibilizamos o download remunerado para as bandas mais atuantes venderem sua música nas lojas Oi da web e mobile. Hoje já temos 40 singles de bandas independentes disponíveis para download .Pra acessar é só enviar a palavra ONS para 939, escolher a música e baixar.

Além do portal e do canal no Youtube, em que outras frentes o Oi Novo Som está presente?

Liana Brauer: Somos um projeto multiplataforma presente na web, mobile, rádio e TV. Na web, estamos nooinovosom.com.br e nas lojas Oi. No mobile, vendemos as faixas lançadas pelos artistas que mais se destacam no portal. Na Oi FM, temos um programa de música independente que vai ao ar aos domingos, às 12h. Na TV, estamos no Canal Oi, na Play TVe no iG TV com ‘programetes’ sobre os artistas em destaque e o conteúdo de vídeo gerado no Estúdio Oi. Além disso, estamos nos eventos, dando espaço para as bandas tocarem ao vivo e terem essa troca real. Também fazemos três shows por mês no Oi Futuro Ipanema, no Rio de Janeiro, e em Belo Horizonte (MG). Tivemos ainda palcos exclusivos no Fashion Rio, no Verão Oi FM no Arpoador (RJ) e no festival SWU.

Quais são as expectativas para o projeto com estas ações?

Bruno Vieira: A expectativa é realmente tangibilizar o conceito do Oi Novo Som de dar acesso para os artistas independentes a novos formatos de distribuição e divulgação e, assim, estabelecer-se como a porta de entrada do independente no mercado digital, aproveitando a sinergia de todas as plataformas da Oi. É fazer diferença na carreira do artista independente, dar a ele suporte e ferramentas para crescer e conduzir sua carreira e, em troca, recebermos conteúdo de qualidade para o nosso usuário. Queremos ser bem diversificados e dar chance a todos os gêneros musicais, sendo referência para os usuários de um projeto em que é possível garimpar música nova e boa.

Há outras novidades previstas ainda para este ano?

Liana Brauer: Neste ano, vamos lançar o novo portal, em que buscaremos uma interface mais amigável para o usuário e os artistas terão mais opções de serviços, como personalização de suas páginas, administração centralizada de suas redes sociais (como Facebook e Twitter), opção de vender seu conteúdo digital também em outras plataformas fora do ambiente da Oi (como iTunes, Amazon e outras grandes lojas digitais) e ainda mais formas de interação com os seus fãs em uma rede social com foco na música. Um aplicativo do portal para smartphones é outra novidade que aumentará as opções de acesso e interação com o conteúdo do portal.

Fonte:
VÍTOR FERREIRA

INSPETOR - OMB
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
Ordem dos Músicos do Brasil
Conselho Regional do Estado de São Paulo-CRESP
Sub-Seção de São José dos Campos
Fone :+55 (12) 3931-9590 /(12) 9166-4613 /11*23168 / 3308-3510
e-mail: delegaciasjc@yahoo.com.br ; omb.saojose@ombsp.org.br
http://www.ombsp.org.br/

David D’épiro é Homenageado Em São José dos Campos - SP


O Músico Mult instrumentista David D’épiro, recebeu uma homenagem da OMB-CRESP pelo seu trabalho prestado à música Brasileira, retomando os rumos do Rock. Com o seu novo trabalho solo, o cantor, compositor e instrumentista, gravou o seu primeiro cd nesta nova fase da sua vida. David D’épiro foi líder da banda Mackzero 5, a única banda no Brasil a conseguir colocar dois clipes simultaneamente no MTV, e vencer vários prêmios. Agora nesta nova fase, ele conseguiu retomar o antigo rock, dos anos 50, 60, 70 e 80, o rock bom, o rock dançante, e está sendo elogiado pelos críticos por onde passa. O mais incrível é que todas as músicas do cd solo são de autoria do próprio David, é um compositor como poucos, que ainda restam neste país. A homenagem foi entregue no dia último dia 25 no Estúdio sete em São José dos Campos, onde o cantor gravou o seu cd, a entrega foi feita pelo delegado federal César Custódio e pelo responsável pela fiscalização no vale Tiago Guerra. Também no mesmo dia e local foi entregue uma homenagem para o Estúdio Sete que tem como o produtor Sérgio dos Santos, por ser o estúdio que mais facilita e orienta os músicos da região, tornando uma mera banda de garagem em uma banda que sabe de seus direitos e deveres e de como se colocar no mercado.

Fonte:
VÍTOR FERREIRA

INSPETOR - OMB
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
Ordem dos Músicos do Brasil
Conselho Regional do Estado de São Paulo-CRESP
Sub-Seção de São José dos Campos
Fone :+55 (12) 3931-9590 /(12) 9166-4613 /11*23168 / 3308-3510
e-mail: delegaciasjc@yahoo.com.br ; omb.saojose@ombsp.org.br
http://www.ombsp.org.br/

quinta-feira, 9 de junho de 2011

DEPUTADA FEDERAL ANDREIA ZITO VISITA A OMB/CRESP


Recebeu dia 27 de abril, membros do Conselho Federal da Ordem dos Músicos do Brasil.

No encontro foram discutidos projetos e melhorias para a classe dos músicos brasileiros em especial do Estado do Rio de Janeiro. Foi acordado também a instalação de uma Delegacia da Ordem dos Músicos do Brasil em Duque de Caxias e a nomeação de um Delegado (músico) para a Delegacia Caxiense. O Prefeito Zito estava em Brasília na ocasião e sabendo do acontecimento, deu total apoio ao Projeto.

Fiquei feliz em promover este encontro e na ocasião ofereci para a Deputada Andréia um exemplar do Livro "Pequena História da Música Brasileira" de Roberto Bueno, Presidente da OMB-SP.

Por: Marcos Vinicio - DIÁRIO DE BORDO
Revista Músico! n. 10 - junho/11

DIVINA PROFISSÃO

À partir do século vinte, tem havido uma proliferação de novas profissões, motivada pelo avanço tecnológico e pela necessidade premente do homem criar novos mecanismos, no sentido de enfrentar os desafios surgidos, de maneira espontânea ou não, com as novas formas de relacionamentos entre os seres humanos ou entre estes e a natureza. Astronauta, Analista de Sistemas, Ambientalista, Publicitário, etc., são atividades inexistentes em passado recente, reconhecidas, hoje, oficialmente, como profissões.

Todavia, uma atividade das mais antigas na face da terra, tem um caráter de sublimidade ímpar, que reveste-se de uma característica divina, não encontrada nas diversas formas de profissões. Refiro-me a profissão de músico, regulamentada por lei federal, em 22 de dezembro de 1960, sendo, portanto cinqüentenária.

Para muitos, a música é, meramente, Arte. Contudo, pode-se, perfeitamente, afirmar que além de Arte, a música é, também, Ciência, pois contém os diversos requisitos componentes das ciências – é universal, possui métodos e contém técnicas, para que ocorra uma perfeita execução. A sua universalidade sobrepuja as mais conceituadas profissões, como, por exemplo, o Direito, a Medicina e a Engenharia brasileiras têm métodos e técnicas que se diferenciam dos métodos e técnicas do Irã, da Índia, da China, etc. Todavia, em todo o nosso planeta, não há música que não obedeça às sete notas musicais e suas derivadas. Leve-se a partitura de “Asa Branca”, por exemplo, para qualquer parte do mundo e o músico executará a melodia de maneira uniforme, conforme o original. Pode-se afirmar, ainda, que a música está presente em todos os eventos que envolvem a humanidade: no funeral (marcha fúnebre e toque de silêncio); na guerra, no cinema (até nos filmes mudos); na política; nos meios de comunicação; nos esportes; nas religiões, etc. Enfim, há música para alegrar, para chorar, para dormir, para dançar, para ninar e até para mudar o rumo da vida dos aflitos. E o que dizer da Musicoterapia? A música é o refrigério da alma!

Quanto a sua característica divina, há exemplos inquestionáveis! Primeiramente, deve-se dizer que os compositores e músicos da antiguidade, compunham e executavam as peças musicais em oferendas aos deuses – na época do paganismo - e, a Deus, à partir do surgimento das religiões monoteísticas. Ademais, utilizando-se da Bíblia Sagrada, base sólida do Cristianismo, verificar-se-á, em diversas passagens, que através da música, foram ganhas batalhas, como aconteceu com Josué que, atendendo a ordem do Senhor, tocou os instrumentos indicados e as muralhas caíram por terra, ocorrendo a tomada daquela cidadela. E, qual a religião que não adota música na sua liturgia? Para os cristãos, em particular, a música é considerada como um Ministério: o Ministério do Louvor, que dentre os demais Ministérios ( da Palavra, da Ação Social, da cura, da Visitação aos Presídios e Hospitais), é, por motivos óbvios, o único que existe no céu, conforme o “manual para a salvação”, a Bíblia Sagrada.

Como corolário, lembremos de passagem escrita no Novo Testamento, quando um discípulo do Mestre o argüiu de quando seria o final dos tempos. Jesus, então, respondeu que nem Ele sabia, pois somente o Pai saberia o dia. Porém, a música é quem vai anunciar o fim do mundo! No livro das revelações (Apocalypse) assim está escrito: “Quando tocar a última trombeta (a sétima), o Senhor descerá de sua glória, para arrebatar os seus fiéis seguidores”. Estejamos, pois, preparados para aquele dia!

Benedito Honório—Presidente da OMB / PARAIBA
Revista Músico! n. 10 - Junho/11

FESTIVAL DE MÚSICA EVANGÉLICA AUTORAL


Vem ai o primeiro FEME – Festival de Música Evangélica Autoral. Promovido pelo delegado Federal da delegacia regional de SJC da Ordem dos Músicos do Brasil – CRESP o César Custódio em parceria com a PIB (Primeira Igreja Batista) e com a Prelúdio Produções.

O Festival será realizado no dia 18 de junho de 2011 à partir das 17:00hs, no Centre (antiga PIB) em São José dos Campos – SP. O Evento é para quem compõe música Evangélica e não tem onde mostrar o seu trabalho, valorizando assim o compositor e as bandas que não tem onde mostrar o seu trabalho autoral. Poderá se inscrever no festival qualquer banda, trio, duo ou solo que tiver música própria, devidamente registrada, e os músicos inscritos na Ordem dos Músicos do Brasil. O Festival Contará com jurados renomados, convidados especiais, premiações, e diplomas da OMB para os vencedores e gravação de um CD com as músicas vencedoras.

Esta a nova Administração da OMB-CRESP que tem como o presidente o professor Roberto Bueno e sua equipe, valorizando e fazendo o que realmente tem que ser feito pelos nossos queridos músicos.

Mais informações:
delegaciasjc@yahoo.com.br
Fones (12) 3931-9590 / (12) 9124-4271 / 11*23168.

Por: Vítor Ferreira
Revista Músico! n. 10 - Junho/11

LUAN SANTANA recebe homenagem da OMB/CRESP

O ultimo domingo dia (1), a OMB-CRESP (Ordem dos Músicos do Brasil – Conselho Regional do Estado de SP) prestou uma homenagem ao “Furacão” Luan Santana, pelo seu profícuo desempenho profissional e valiosa dedicação a Música, como arte e Cultura, na sua mais cristalina forma. Exaltando a música brasileira no seus mais diferentes estilos. A homenagem foi entregue no camarim do artista no Expo-Guaçu onde lhe foi entregue o “Diploma de Honra ao Mérito” e o “Troféu Clave da OMB’, as homenagens foram entregues pelo Inspetor Federal Vítor Ferreira e pelo Delegado Federal César Custódio Ambos da Delegacia Regional de São José dos Campos.

Por: Marcio Vinicio - DIÁRIO DE BORDO
Revista Músico! n. 10 - Junho/11

JOÃO BOSCO E VINICIUS

Sucesso total no Ribeirão Rodeo Music
Na foto: Elaine Chaves – Fiscal OMB, João Bosco, Maria do Carmo - Delegada OMB Ribeirão, Vinícius e Carlos Rossi - Delegado OMB Bebedouro

Por: Marcio Vinicio - DIÁRIO DE BORDO
Revista Músico! n. 10 - junho/11

MAESTRO LUCAS GUIMARÃES FALA SOBRE A CARREIRA DO MÚSICO


Maestro Lucas Guimarães e músicos da orquestra durante o ensaio






































A Orquestra Lira Musical de Diadema, também conhecida como Orquestra de Sopros e Percussão de Diadema, atualmente sob regência do Maestro Lucas Guimarães, possui vinte e sete músicos e ensaia duas vezes por semana na Casa da Música, espaço cultural da cidade. Fundada desde 1968, conquistou uma centena de títulos e honrarias, com um acervo de mais de seiscentas obras de autores de diversos gêneros musicais, nacionais e estrangeiros.

Fomos apresentados ao Maestro pelo Delegado da OMB/CRESP-DIADEMA, Genivaldo Batista Leite, que nos acompanhou a esta entrevista. Chegamos bem na hora em que estava acontecendo o ensaio e ficamos emocionados com a dedicação que os músicos têm pelos estudos.

O Maestro Lucas Guimarães, que já possui a experiência dos mestres ao longo dos seus 35 anos de carreira, nos contou que os ensaios começam muito antes de reunirem todos os músicos, devido ao trabalho que se tem para relacionar as músicas e conferir todos os arranjos.

“O público assiste ao produto final e não imagina o trabalho que se tem para chegar a este resultado... É maravilhoso viver de música, mas dá muito trabalho tanto quanto em qualquer outra profissão...” disse o Maestro lamentando o fato de os músicos dificilmente conseguirem um emprego com carteira assinada.

Lucas Guimarães já trabalhou na Europa, foi coordenador musical em São Bernardo do Campo durante oito anos, quando ocorreu a mudança política atual com o Prefeito Marinho que extinguiu a Orquestra Filarmônica, a Banda Sinfônica, Banda Jovem e a Banda Mirim, desempregando assim, vinte professores músicos e desagregando centenas de músicos potenciais. Posteriormente, recebeu o convite de Vanderlei Cesário da Silva, diretor artístico da Casa da Música, para reger a Orquestra Lira Musical de Diadema e aceitou prontamente o desafio.

“Eu estou muito satisfeito porque aqui eu trabalho com um grupo muito bom de vinte e nove amigos, entre músicos e ajudantes” confessou o Maestro.

Além dos trabalhos na orquestra, que rendem um pouco mais do que seiscentos reais, o grupo se fragmenta nas apresentações em festas e eventos, empenhando-se para driblar os compromissos financeiros para a sua sobrevivência. As dificuldades são gritantes em relação à realidade dos músicos dos países mais evoluídos, começando pelos custos dos instrumentos musicais adquiridos aqui no Brasil a preços exorbitantes e dos cursos especializados.

Outro fator preponderante à dificuldade da carreira de músico no país deve-se ao fato de não ter havido a educação musical nas escolas nos últimos anos e que agora se tornou novamente obrigatória, porém deficitária, uma vez que os escolhidos para ministrarem a matéria de música, não são músicos de fato e sim pedagogos que receberão um minicurso equivalente a uma ‘cartilha de vogais do primeiro ano fundamental’ se comparado à música. Em sua definição, Lucas Guimarães disse: “Mesmo que o garoto tenha talento, esse talento precisa ser lapidado por um ourives que conheça a profissão. Aqui mesmo na Casa da Música, várias crianças receberam o ensino através de nossos músicos professores [como Francisco Araújo que lecionou durante muitos anos] e hoje são profissionais da música e já estão tocando por aí”... “Se nas escolas dos seis mil municípios no Brasil, houvesse ao menos uma bandinha pequena que fosse, não precisaríamos criar tantas casas de recuperação de drogados”... Lamentou Guimarães, comparando a carência ao ensino dos americanos em que todas as escolas desenvolvem a matéria com seriedade. - “O ideal seria mesmo promover um grande concurso para avaliar se os músicos estão aptos a darem aulas nas escolas e não utilizar pedagogos para o trabalho.” Concluiu.

Lembrou-se de um movimento chamado “Projeto Bandas e Fanfarras” do qual participou na década de noventa em que se promoviam concursos de fanfarras e bandas no estado de São Paulo em doze regiões, onde se faziam os campeonatos elegendo as melhores para uma grande final. Tudo ia muito bem, quando entrou o governo de Mario Covas que extinguiu todas as iniciativas.
O Maestro Lucas Guimarães também deixou um recado aos dirigentes da Ordem dos Músicos do Brasil, dizendo que se faz necessária a dedicação na defesa aos interesses dos músicos, batalhando para que estes não sejam enganados e iludidos.

- “Nós precisamos de amparo, assim como os médicos, engenheiros, advogados, etc. e o melhor órgão para nos representar é a Ordem dos Músicos do Brasil. Eu estou pessoalmente empenhado em falar com todos os regentes que eu conheço para darem apoio à nova administração aqui em São Paulo. A OMB precisa que neste momento, os músicos tenham confiança nela e formalizem-se através da aquisição de sua identidade funcional que comprova o exercício da profissão através de um órgão reconhecido, uma autarquia federal; esquecendo os desmandos do passado, pois eu percebi que o Professor Roberto Bueno e o Genivaldo estão comprometidos em mostrarem serviços em favor dos músicos e assim eu espero que se faça para que não joguemos palavras ao léu... A Ordem tem que ficar ao lado do músico trabalhador.” Enfatizou.
Apesar de tudo, declarou-se otimista em relação ao futuro dos músicos no Brasil e relacionou alguns conselhos aos nossos músicos leitores:

- “O músico que quer vencer na profissão, assim como um médico ou engenheiro, deve estudar muito. Freqüentar ensaios de orquestras, bigbands, fanfarras... ficar por dentro de tudo é muito importante; não se faz necessário tocar todos os instrumentos, mas conhecer todos eles e tocar bem o seu preferido em toda a sua capacidade de execução. Adquirir competência estudando de quatro a oito horas por dia, ser disciplinado e responsável, pontual, andar sempre sóbrio e com boa aparência.”

Associação Musical de Diadema – Tel. 11 4067-1577—José Barbosa.
Casa da Música de Diadema
Av. Alda, 255 – Diadema – SP
Tel: 11 4051-2628
casadamusicadediadema.blogspot.com
www.amdmusica.com/index.html

Reportagem: Claudia Souza / Fotos: Ribas Martins
Revista Músico! n. 10 - junho/11

OMB VISITA O COLÉGIO DANTE ALIGHIERI

JOSE DE OLIVEIRA MESSINA
Presidente do Colégio Dante Alighieri

Advogado, Jornalista, Poeta, Compositor, Professor Universitário e escritor, ocupou vários cargos públicos entre eles: Procurador do Município de São Paulo, Procurador Geral do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, foi Presidente da Academia Paulista de Direito. Foi condecorado pelo governo italiano no grau de Cavallieri Ufficiale. Escreveu 11 livros publicados, entre eles: Temas Permanentes de Direto, Vivendo na Poesia e Pensamentos. Autor das músicas: Sol, Amar é Poetar, Hino da AEDA, Borboleta Azul e outras, em parceria com Nelson Dejane.

O Colégio esta comemorando 100 anos de existência e as comemorações irão até dezembro deste ano. No mês de junho haverá exposição de fotos na Assembléia Legislativa e no Conjunto Nacional, do dia 02 ao dia 14 de julho, entre outras atividades comemorativas para os alunos e professores.

Foto: Nelson Dejane representando a Revista Músico

O Maestro Salvatore Callia também estará sendo homenageado pelos 40 anos de dedicação ao colégio. Como parte das comemorações também foi gravado um CD com poesias do Poeta Dante Alighieri musicadas em italiano por Nelson Dejane com arranjos do Prof. Humberto Cortez, tendo como interpretes as professoras Suely Lerner e Kátia M.C.Villari , sendo que este CD foi anexado a um livro ao qual refere-se as obras do Poeta Dante Alighieri.






DEPARTAMENTO DE MÚSICA:
Coordenadora: SUELY LERNER

CURSOS LIVRES DE MÚSICA
Coordenadora de Cursos Livres: SONIA BATTELLA
Oficina de cordas – Curso de Violino
Objetivo final: formação da Camerata Jovem do Colégio Dante Alighieri

Instituto Fukuda de Música
Profs. Ricardo Fukuda, Paula A.Vazquez e Daisy Takahachi.
Violão – Orquestra e Popular - Prof. Marcus Vinicius S. R. M. De Almeida
Guitarra - Prof. Thiago Lima dos Santos
Teclado - Profa. Roseli Rinaldi

Outros cursos:
Teatro, dança, capoeira, artes marciais, yoga e língua Italiana

Foi agraciado, entre outros prêmios, pela Academia Internacional de Música com o segundo e terceiro lugar no segundo Concurso Internacional, e com a Medalha de Ouro da Casa Ricordi, uma de suas editoras.

O maestro Salvador Callia, chegou no Brasil em 1921, foi professor de Música do Dante por quase 40 anos, foi homenageado pela comunidade dantiana: a sala de música, que fica no edifício Michelangelo, ganhou uma placa com seu nome. A iniciativa partiu do presidente do Colégio, Dr. Messina. Alunos do 4º ano do Ensino Fundamental abriram a homenagem cantando o hino da escola – de autoria do maestro.

Dr. Messina discursou, lembrando detalhes das aulas do maestro, que foi seu professor. “Ele não gostava da minha voz, e me disse certa vez: ‘não se preocupe – fique mudo e eu te dou dez’”, contou Dr. Messina.

O maestro Callia, faleceu em 1971 e viveu para a música. Compôs 500 peças das quais mais da metade de suas coleções musicais têm por temática a infância e a juventude. Recebeu homenagens também do governo do estado de São Paulo (que deu seu nome a um colégio), da prefeitura paulistana (que fez o mesmo a uma rua no bairro da Vila Mariana) e até mesmo da prefeitura de Polignano a Mare, sua cidade natal, na Itália, que o homenageou batizando uma praça de Via Maestro Callia.

Por: Nelson Dejane
Revista Músico! n. 10 - Junho/11

BATORÉ RECEBE HOMENAGEM DA OMB/CRESP


Dias depois do 1º Encontro Regional de Profissionais da Música em Mauá, a Delegada da Subseção OMB/CRESP na cidade, Terezinha Maria Passos, foi até a Câmara dos Vereadores local para entregar o diploma de honra ao mérito, para o Vereador Ivann Gomes, conhecido pelo nome artístico de “Batoré”, pelo apoio que ofereceu durante a implementação da sua subseção.
Bem humorado, Batoré explicou que anda entristecido pelas dificuldades que enfrenta em defender as causas políticas da região de Mauá, devido a morosidade do poder público e declarou que mesmo assim, não vai desistir de lutar para melhorar a cidade aonde mora.
Ficou feliz em receber a modesta homenagem, e relevou seu apoio desejando sucesso para as ações da OMB em Mauá.

Ivann Gomes, neto de cangaceiro, nasceu em Serra Talhada, Pernambuco, em 17/04/60.
Serra Talhada, foi o berço de Virgulino Ferreira de Souza, vulgo Lampião.
Ainda criança, veio para São Paulo com sua família, indo morar em Mauá e aonde desenvolveu o seu potencial artístico. Também tentou seguir carreira no futebol, mas a arte prevaleceu ao esporte.
Ficou famoso na TV e com diversos shows montados, foi assistido e aplaudido por mais de um milhão de espectadores.
Além de seu trabalho como vereador e empresário na área de confecções, ele divide seu tempo entre as apresentações de seu mais recente trabalho: “RISOS E GARGALHADAS” de sua autoria e direção, onde interpreta de forma narrativa, e muito divertida, personagens do cotidiano, relatando algumas situações políticas e outras nem tanto.
Como quem não perde a comédia, conta que sua mãe costuma dizer que seu show é o melhor do “BRASIL”, porém ele não se considera um Grande Humorista como todos dizem, mas “Apenas Um Comicozinho.”

Revista Músico! n. 10 - junho/11

1º ENCONTRO DE PROFISSIONAIS DA MÚSICA EM MAUÁ

Maria Terezinha Passos
Delegada da Subseção da OMB/CRESP em Mauá
Dia 15 de Março foi realizado o 1º Encontro Regional de Profissionais da Música em Mauá. O evento foi marcado pela presença de diversos músicos da região de Mauá e ABCD, além de personalidades do cenário político e artístico-cultural.
O Teatro Municipal de Mauá recebeu cantores, músicos, representantes de entidades de classe e fãs clubes para uma comemoração que ficará na lembrança dos profissionais da música: Uma homenagem da Ordem dos Músicos de São Paulo aos músicos, maestros e incentivadores da arte.
A Delegada da Subseção da OMB em Mauá, Terezinha Aparecida Passos e o Presidente da OMB/CRESP Professor Roberto Bueno, a Vice-Presidente da OMB Maria Cristina Barbato e o Delegado da Subseção de São Caetano do Sul, Sr. Jayme Ruba presidiram a cerimônia de entrega dos diplomas e homenagens aos presentes:

Caio Evangelista: Diretor de Teatro, escritor, coordenador do departamento de cultura da cidade de Mauá; Carlos Binder: Maestro coordenador da corporação musical da Banda Lyra Mauá;
Clóvis Volpi: Prefeito da cidade de Ribeirão Pires;
Divaldo Depret: Diretor da Rádio Z e músico;
Edilson Wagner de Souza: (DYDAH) Músico;
Edgard Mitiu Gulbu: Diretor do Centro de Desenvolvimento, Formação e Tecnologia Musical de São Caetano do Sul;
Enéas Alves de Souza: Conselheiro da Orquestra de Violeiros de Mauá;
Ivan Dourado & Adriano: Dupla Sertaneja;
Janaina Barros: Cantora Country e apresentadora;
José Fernandes: Vice Presidente do Grupo Musical AMA – ABC;
João Aletto Filho: Maestro da Orquestra de Violeiros, Berranteiros de Coral das Comunidades, Orquestra de Flauta Doce de Mauá e Orquestra de Violeiros de Rio Grande da Serra; Leandro Marcelino: músico; Luiz Claudio Oliveira dos Santos: músico;
Márcio de Souza: Assessor de cultura da Cidade de Mauá e Ator;
Marcelo de Oliveira: Vereador da Cidade de Mauá;
Nelson Ferreira: Professor e diretor do grupo musical Opus 7 de São Caetano do Sul;
Rogério Santana: Vereador e Presidente da Câmara da Cidade de Mauá;
Rodrigo Hernandes: Regente da Orquestra de Violeiros de Mauá;
Roger & Rogério: Dupla Sertaneja
Sempre Frágil: Banda
Sérgio Pastoreli: Diretor da Orquestra de Violeiros de Mauá
Ubiratan Kuripako Tupynambá: músico e Cacique da Tribo Tupynambá
Vicente Carlos de Souza: Assessor de Gerencia da Cultura da Cidade de Ribeirão Pires
Waldir dos Santos Oliveira: Coordenador do departamento de cultura da cidade de Rio Grande da Serra;
Wilson Roberto Ribeiro: Presidente do Grupo Musical Ama – ABC.

Em seu breve discurso, o Presidente da OMB/CRESP, Professor Roberto Bueno, salientou aos músicos a importância da exigência da nota contratual e a inobservância dos contratantes em cumprir esta norma, que garante ao profissional da música, sua segurança no futuro.

“ Os empresários tem ódio da nota contratual. Eles querem ver o músico às margens da desgraça, pedindo ‘Pedindo pelo amor de Deus’ pra tocar seu violão por qualquer dinheiro e não recolher o INPS... por isso eu digo aos músicos presentes: Procurem saber quais são os seus direitos, mas também, saibam quais são os seus deveres e obrigações...” Concluiu o presidente.

A festa contou com o glamour das apresentações dos músicos da Bandas Lyra, The Cleaners, Sempre Frágil, dupla Roger e Rogério, Janaina Barros e fechou com chave de ouro na bem humorada e criativa descrição musical da origem da música e a importância da OMB, cantada e entoada ao som do premier internacional Robson Miguel, que emocionou à todos com sua performance no violão.


Revista Músico! n. 10 - Junho/11

IVETE SANGALO recebe homenagem da OMB/CRESP

No domingo (17/04), a OMB-CRESP (Ordem dos Músicos do Brasil – Conselho Regional de São Paulo) prestou uma homenagem à musa Ivete Sangalo, reconhecendo o trabalho da cantora prestado ao nosso pais e agora no mundo, exaltando e elevando cada vez mais o nível da música brasileira. A Cantora e compositora, alcançou o sucesso quando era vocalista da banda EVA, vendendo mais de 3,78 milhões de discos chegando a fazer mais de trinta shows por mês, e já vendeu mais de 15 milhões de cópias em toda a sua carreira.
A partir de 1999 a Musa conhecida também como o Furacão baiano, iniciou carreira solo fazendo enorme sucesso com várias músicas na mídia, como: “Carro Velho”, “Arerê”, “Se eu não te amasse tanto assim”, entre outras, vendendo mais de 100 mil cópias. Brilhou mais ainda, ao encantar a platéia do Rei Roberto Carlos, no especial da Rede Globo, aonde a Musa teve preferência para apresentar diversos programas, chegando até a substituir a rainha dos baixinhos “Xuxa” enquanto estava em férias.
Conquistou vários prêmios ao longo de sua carreira de sucesso, como o Grammy Latino de “Melhor Álbum Brasileiro de raízes/música regional, e é recordista com nove Prêmios da Multishow e de três prêmios da 3º Open Web Awards, além de 2 milhões de seguidores no twitter. Recentemente ela atingiu o top máximo das cantoras brasileiras ao lotar o Madison Square Garden.
O Delegado Federal César Custódio e o Inspetor Federal Vítor Ferreira da OMB/CRESP, entregaram para a cantora e sua banda um diploma de “Honra ao Mérito” e um “Troféu Clave” da OMB, que foi entregue no camarim do trio elétrico “Demolidor”, após o show realizado no Estância Alto da Serra em São Bernardo do Campo. Os músicos da Banda: Diego Freitas, Ferreirinha, Junior, Maceió, Gilberto, Ambrú, Fábio O'Brian, Márcio Brasil, Cara de Cobra, Gigi, Jaguar, Patrícia Sampaio, Tito Bahiense, Danilo Souza e o produtor artístico  Alexandre Lins, ficaram felizes com a surpresa. A entrega foi graças a Marcela do Caco de Telha e ao Lúcio Ávila produtor da Cantora.

http://www.ivetesangalo.com.br—http//twitter.com/ivetesangalo

Revista Músico! n. 10 - junho/11

quarta-feira, 8 de junho de 2011

LOBISTA DE CASAS NOTURNAS

O Deputado Estadual Carlos Giannazi (PSOL), que se apresenta como “defensor dos músicos” usando como bandeira política a extinção da ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL - uma autarquia federal criada em 1960 através de Lei aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo grande estadista que foi Juscelino Kubitschek.

Na realidade o seu verdadeiro objetivo é de cunho pessoal e muito pouco ético - desregulamentar a profissão de músico para beneficiar algumas casas noturnas contratantes e empresários de duvidosas idoneidades.

No aviltamento da profissão de músico estariam as bases dos seus lucros.

De forma totalmente inconsequente, o Deputado Giannazi tem enviado ofícios como este aqui apresentado, “exigindo” a anulação de multas oficiais aplicadas por órgão federal no cumprimento de legislação trabalhista específica. Multas não aplicadas nos músicos, mas nos seus contratantes desonestos.

Neste caso ora apresentado, a multa que o Deputado Giannazi pretende anular é a reproduzida abaixo... em decorrência de LEGISLAÇÃO FEDERAL -dentre outras, da Lei n° 3.857/60, Lei n° 0.192/2001 e das Portarias nº 3346 e 3347/86 do MTE, combinado com os Artigos 626 e seguintes da CLT, já declinada como tipificação legal desta.

ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL - ASSESSORIA ESPECIAL


Por: Professor Ary de Jácomo Biságlia
Revista Músico! n. 10 - Junho/11

Zimbo Trio e Projeto Gourmet na semana do Ao Vivo Music

Tradição e brasilidade definem a semana de 6 a 11 de junho no Ao Vivo Music. No palco, a casa recebe mais uma vez a experiência do Zimbo Trio, consagrado grupo instrumental paulistano fundado em 1964. Na cozinha, o gastrônomo baiano Girleans Cerqueira segue com o Projeto Gourmet, harmonizando temperos e notas para criar pratos sofisticados e bem brasileiros.

Atração imperdível para os fãs da música popular brasileira, o Zimbo Trio leva ao palco do Ao Vivo arranjos personalizados para clássicos de Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Ary Barroso. Temas do disco Autoral, com composições do pianista Amilton Godoy, também são explorados. Além de Godoy, fazem parte do Zimbo Trio o baixista Mario Andreotti e o baterista Rubinho Barsotti – que, recuperando-se de um problema de saúde, reveza as baquetas com Pércio Sápia. Sexta, dia 10, R$ 40.

Buscando a sintonia dos sentidos, o Ao Vivo convidou o gastrônomo Girleans Cerqueira para criar um cardápio que atenda bocas e ouvidos. Dentro do Projeto Ao Vivo Gourmet, a cozinha baiana sofisticada de Girleans é planejada para acompanhar as atrações musicais da casa, usando a experiência na cozinha e a vivência como músico do chef: “usei a sensibilidade de poder harmonizar dois alicerces tão fortes na nossa vida, que são a comida e uma boa música”. A cada dia do Projeto Gourmet serão apresentadas duas opções de cardápio especiais – com entrada, prato principal e sobremesa. O show do Zimbo Trio, por exemplo, poderá ser acompanhado por um exótico polvo grelhado com mandioquinha salteada ou uma deliciosa moqueca de camarão e Banana da Terra com farofa de azeite. Quinta e Sexta, dias 9 e 10 de junho, R$ 39,90.

Programação completa – 6 a 11 de junho

Na programação, a fórmula clássica do Ao Vivo: as segundas são reservadas ao melhor da comédia stand-up brasileira, começando às 21h30; e de terça a sábado a música assume o espaço completamente, em duas apresentações diárias – a primeira às 20h30 (com promoção de Paint Chopp/500ml Itaipava até 21h) e a segunda às 22h30.

Segundas Cômicas - dia 6
Tradicional noite de stand-up comedy. Os renomados Gus Fernandes e Felipe Hamachi revezam o palco do Ao Vivo com Marcelo Marrom (Deznecessários), Murilo Gun (eleito pelo Uol como um dos melhores humoristas do Brasil em 2010), Renato Tortorelli (locutor do programa Galera Gol, da rádio Transamérica) e Fabiano Cambota (vocalista da banda “Pedra Letícia”, sucesso absoluto na internet).
Couvert - R$ 25.

Terças Instrumentais – dia 7
20h30 – Manilha - O grupo Manilha se apresenta todas as terças tocando temas de jazz escolhidos na hora, de forma livre e improvisada. Formado por Richard Metrairon (contrabaixo), Louise Woolley (piano), Marcelo Jesuíno (guitarra), Edu Nali (bateria) e Rafael Clarim (saxofones).
22h30 – Thiago Espírito Santo – Baixista renomado, Thiago Espírito Santo é filho do multi-instrumentista Arismar do Espírito Santo e da pianista Silvia Góes. No palco Ao Vivo mostra o potencial da sua herança genética e troca sua consagração no contrabaixo pela nova experiência da guitarra. Tocando as composições autorais do álbum Na cara do Gol, Thiago apresenta o melhor da música instrumental brasileira ao lado de Carlinhos Noronha (baixo), Sergio Machado (bateria) e Fabio Leandro (piano). http://www.myspace.com/thiagoespiritosanto
Couvert R$ 20 (consumíveis, para os dois shows)

Quartas Instrumentais – dia 8
20h30 – Projeto 2 - O grupo Projeto 2 se apresenta com repertório baseado em standards do jazz e da música brasileira. Marcos Paiva (baixo), Vitor Cabral (bateria), Marcelo Jesuino (Guitarra), Jefferson Rodrigues (saxofones).
22h30 – Marcinho Eiras – Autodidata, Marcinho Eiras é conhecido por ter desenvolvido a técnica “Two Handed Tapping”, podendo tocar com duas guitarras simultaneamente. O músico, que já tocou na Austrália, Alemanha, Costa Rica, Itália, Romênia, Grécia, África do Sul, Áustria, Suécia e Bélgica, esteve ao lado de grandes nomes como Dominguinhos, Bocato, Arismar e Thiago do Espírito Santo, Celso Pixinga, Mozart Mello, Tommy Emmanuel, Kiko Loureiro, Stanley Jordan, Muriel Anderson, Todd Halawell, Decebal Badila, Toninho Horta, Lito Robledo, Djalma Lima e Marcio Montarroyos, Giba Favery, Mariza Orth, Fagner e Peninha, entre outros. http://www.myspace.com/marcinhoeirasoficial
Couvert R$ 20 (consumíveis, para os dois shows)

Quintas PUB Ao Vivo – dia 9
22h30 – Serginho Carvalho - Natural de Manaus, Serginho é baixista e compositor. Já tocou ao lado de artistas como Djavan, César Camargo Mariano, Rita Lee, Zélia Duncan, Cláudio Zoli, Jair Oliveira, Pedro Mariano, Max Viana, Luciana Melo, Max de Castro, Wilson Simoninha, Seu Jorge e Glaucia Nahsser. Com participação do cantor de Dani Black no vocal, apresenta no palco do Ao Vivo composições autorais e arranjos personalizados para autores consagrados, acompanhado por Conrado Goys (guitarra), Pedro Ito (bateria), Marcelo Freitas (sax) e Agenor de Lorenzi (sanfona e teclado). http://www.myspace.com/serginhocarvalho
Couvert R$ 20
Projeto Ao Vivo Gourmet
Cardápio 1 – Entrada: Berinjela à Parmegiana com mussarela de Búfala e molho ao Pomodoro à minuta gratinado com parmesão; Acompanha torrada de pão italiano caseiro; Prato Principal: Robata Grandes Mares - espeto com salmão, tomate cereja, camarão com alho à portuguesa e alho-poró. Acompanha cuscuz marroquino com Banana da Terra, Castanha do Pará e quiabo frito; Sobremesa: Mini Petit Gateau, Delicias Ao Vivo ou mini crepe de creme de avelã com morango. R$ 39,90.
Cardápio 2 - Entrada: Três folhas de alface com camarão envolto com Parma e lascas de queijo Pecorino Romano. Acompanha torrada de pão Italiano caseiro e molho de mostarda em grãos com mel; Prato Principal: Filé Mignon e risoto de Shimeji com lascas de parmesão; Sobremesa: Mini Petit Gateau, Delicias Ao Vivo ou mini crepe de creme de avelã com morango. R$ 39,90.

Sextas Ao Vivo Music – dia 10
22h30 – Zimbo Trio - Na ativa há 47 anos e com mais de 40 discos gravados, o grupo formado pelo contrabaixista Marinho Andreotti, o baterista Pércio Sápia - que divide o palco com Rubinho Barsotti - e o pianista Amilton Godoy, apresenta arranjos com a assinatura característica do trio para clássicos de gênios, como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Ary Barroso, Gil, Bach e do próprio Godoy.
Couvert R$ 40.
Projeto Ao Vivo Gourmet
Cardápio 1 – Entrada: Papelote de shimeji e camarão com aroma de manjericão roxo. Acompanha pão italiano com azeite perfumado; Prato Principal: Polvo grelhado com mandioquinha salteada. Acompanha vinagrete de tomate cereja, manjericão e pimentão amarelo; Sobremesa: Mini Petit Gateau, Delicias Ao Vivo ou mini crepe de creme de avelã com morango. R$ 39,90.
Cardápio 2 - Entrada: Casquinha de siri com farofa surpresa e vinagrete com Martini; Prato Principal: Moqueca de camarão e Banana da Terra com farofa de azeite; Sobremesa: Mini Petit Gateau, Delicias Ao Vivo ou mini crepe de creme de avelã com morango. R$ 39,90.

Sábado – dia 11
20h30 – Luiz Claudio Sousa – Ao lado de Danilo Vianna (baixo acústico) e Bianca Predieri (bateria), o guitarrista Luiz Claudio Sousa apresenta releituras de standards do jazz, em estilos rápidos e dançantes como o swing e o bepop.
Couvert R$ 20 consumíveis
22h30 – Baião de Cinco – Formado pelo baterista do Zimbo Trio, Pércio Sápia, pelo baixista Itamar Collaço (ex-Zimbo Trio), o guitarrista Caio Afiune, a pianista Nilce Carvalho e com Fabio Perón no bandolim, o grupo Baião de Cinco traz ao palco do Ao Vivo o melhor da música instrumental. Com participação de Giulia Afiune na flauta transversal, o grupo interpreta grandes autores, como Tom Jobim, Milton Nascimento e Ivan Lins, clássicos do jazz e composições próprias, mantendo sempre a sonoridade colorida e a diversidade rítmica da música brasileira.
Couvert R$ 20

Ao Vivo Music
A atmosfera intimista de um jazz club em uma charmosa esquina de Moema. Apresenta em seu palco nomes consagrados e promissores da música nacional e internacional, criando um contato imediato entre artistas e público. No cardápio e no bar, a qualidade segue como regra: do pão italiano coberto com shimeji, shitake e queijo parmesão derretido ao exclusivo Coquetel Ao Vivo, mistura de Bailey’s, licor de café, Amaretto e vodka. Promoção de Paint Chopp/500ml Itaipava até 21h.

Serviço
Rua Inhambu, 229, Moema.
Telefone: (11) 5052-0072
Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 19h às 02h.
Cartões: Maestro, Mastercard, Rede Shop, Visa , Visa Electron, American Express, Diners
Manobrista: R$ 15,00
Wi-fi: sim (gratuito)
Ar-condicionado: sim
Área para fumantes: sim
Aceita reserva: sim
Mesas ao ar livre: sim

Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto fará duas apresentações gratuitas em Fortaleza em junho


A Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto vem do município caririense do Crato para duas apresentações gratuitas em Fortaleza, neste mês de junho: no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – Centro – fone: (85) 3464.3108), no próximo dia 17 (sexta-feira), às 18 horas; e no CUCA Che Guevara (av. Presidente Castelo Branco, 6417 – Barra do Ceará – fone: (85) 3237.4223), no dia 18 (sábado), às 19 horas.
A Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto é um grupo de músicos residentes na cidade do Crato, no sul do Ceará. Tudo começou com José Lourenço, apelidado Aniceto, que viveu até os 104 anos e legou a tradição aos filhos Francisco, João, Hugo, Antônio e Raimundo.
Atualmente, uma terceira geração, representada por Cícero, Joval e Adriano, dá continuidade ao trabalho iniciado pelo Mestre José Lourenço. O nome Cabaçal deve-se ao uso de cabaças para confecção do zabumba e da caixa, hábito de origem indígena.
Vestidos com roupas de cores vivas, calçando alpercatas de couro, os Irmãos Aniceto criam peças notáveis, ocupando o espaço cênico com dança anímica, em conjunto ou em solos, usando os pífanos feitos de taboca, acompanhados de zabumba, caixa e pratos. O grupo também constrói os instrumentos utilizados nas apresentações.
Dentre seus elogiados números, envolvendo música, poesia matuta, dança e dramatização realizada a partir da observação da natureza, dando um sentido profundo de ecologia aplicada às artes, os Irmãos Aniceto nos brindam com apresentações antológicas como “A briga do cachorro com a onça”, “A dança do caboré”, “A dança do marimbondo”, “Severino Brabo” e “O casamento da acauã com o gavião”. Os Irmãos Aniceto parecem feitos de mola, pinotando pelo espaço, virando onça, voando feito caborés, realizando um teatro de expressiva beleza.
A Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto apresenta intensa e harmoniosa criatividade, sempre no trabalho de reelaboração da herança coletiva, conservando traços de nítida influência da cultura dos índios cariris, onde a música e a dança são mostradas com características profundamente populares, ressaltando a importância da cultura tradicional do Nordeste brasileiro.
A Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto já percorreu as principais cidades do Brasil, apresentando-se diversas vezes em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Natal, ao lado de artistas como Hermeto Pascoal, Quinteto Violado, Alceu Valença, Dominguinhos e Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho, tendo sido agraciada com o Prêmio Dragão do Mar de Arte e Cultura, na categoria Artista Popular.
Em 2005, participou do Ano do Brasil na França, apresentando seus pinotes e trinados na Cité de La Musique, em Paris. Juntamente com a Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho, os Irmãos Aniceto lançaram em 2009 um DVD dirigido pelo cineasta Sérgio Rezende, com gravações no Theatro José de Alencar e no Cariri.
Com dois discos lançado, Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto (1999) e Forró no Cariri (2005), o grupo se prepara para lançar o terceiro CD, “Sou Tronco, Sou Raiz”, todos produzidos pelo cantor e compositor cearense Calé Alencar. Em 2007, os Irmãos Aniceto foram agraciados com a medalha da Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura.

PROGRAMA
1. Marcha de Chegada
2. Marcha Caririzeira
3. Marcha Rebatida Pé de Serra
4. Marcha de Estrada
5. Forró no Cariri
6. Alvorada
7. Galope
8. Quilombo
9. Bendito de Nossa Senhora das Candeias
10. Bendito de Nossa Senhora da Penha
11. O Bem-te-vi
12. Alegra o Povo
13. O Casamento da Acauã com o Gavião
14. Quilariô (Adriano, Cícero e Joval)

Músicas de 1 a 13 – temas de domínio público adaptados pela Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto.

FICHA TÉCNICA
1º Pífano: Antônio
2º Pífano: Raimundo
Caixa: Cícero
Caixa: Azul
Pratos: Joval
Zabumba: Adriano
Texto, fotos e produção: Calé Alencar