terça-feira, 26 de outubro de 2010

`Sertanejo Pop Festival´ reúne grandes nomes da música sertaneja em São Paulo

Luan Santana, Fernando E Sorocaba, Maria Cecília E Rodolfo, Chitãozinho E Xororó e outros grandes nomes apresentaram-se no evento, na Chácara do Jockey

O "Sertanejo Pop Festival", uma parceria inédita da Som Livre, Maior e Mondo Entretenimento que acaba de criar o maior evento do gênero da capital paulista.

O espaço escolhido pela produção do evento recebeu a mesma infraestrutura utilizada nas mega turnês internacionais. De acordo com Luiz Gustavo Pereira, diretor de Operações da Mondo Entretenimento, nos mais de 19 mil m² do local, o público se divertiu ao longo de mais de dezesseis horas de música. A infraestrutura contou com dois palcos para shows, lounges e área de convivência com lojas, bares e restaurantes.

No line up, nove grandes duplas apresentaram-se: João Neto E Frederico, Guilherme E Santiago, Chitãozinho E Xororó, Maria Cecília E Rodolfo, João Bosco E Vinícius, Michel Teló, Hugo Pena E Gabriel, Luan Santana e Fernando E Sorocaba cantaram seus grandes sucessos.

O evento prestigiou também os novos talentos. Apresentações no segundo palco intercalaram os sucessos do palco principal: Adair Cardoso, Hugo E Tiago, Paula Fernandes, Caio Corsalete e Dollar Furado, Conrado e Aleksandro, Diego Monteiro e Rud E Robson.
Além deles, o quadro Garagem do Faustão, do programa Domingão do Faustão, da rede Globo, selecionou os quatro melhores artistas sertanejos que se inscreverem pelo site http://domingaodofaustao.globo.com, para se apresentar no festival.

Segundo a Som Livre, gravadora de praticamente todos os artistas do line up do festival, de 2008 pra cá, inúmeros músicos surgiram no cenário do sertanejo. "Hoje, 26% das músicas executadas nas rádios paulistas fazem parte deste novo gênero; por isso criamos o festival para satisfazer o público crescente que aprecia esse estilo musical", explicou Leonardo Ganem, diretor Geral da Som Livre. "A ideia é que seja a primeira de muitas edições", finalizou.

Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene lança 1° CD.

Disco tem projeto gráfico inovador com encarte em Braille.
Orquestra de Tambores de Aço (steal drums) participa do CD

Para ouvir o Cd acesse www.dinhonascimento.com.br/orquestradeberimbaus

A ideia de uma orquestra de berimbaus surgiu nos encontros informais que aconteciam na pracinha do Morro do Querosene, zona oeste da capital paulista, quando, ao cair das tardes de domingo, Dinho Nascimento – figura importante da capoeira e da percussão brasileira - e alguns amigos se reuniam para tocar, jogar e passar ensinamentos da capoeira aos mais jovens e outros recém-chegados. Hoje, formada por mestres, contramestres e professores de capoeira, além de músicos e pessoas da comunidade, a orquestra mostra os recursos e peculiaridades do berimbau e sua forte presença na nossa música.

Gravado com o apoio da Secretaria Estadual da Cultura, através de seu Programa de Apoio à Cultura – ProAC 18, o CD Sinfonia de Arame conta com berimbaus cuidadosamente afinados e agrupados em naipes - berimbau berra-boi e gunga (som grave), berimbau médio, berimbau viola e violinha (som agudo), berimbum (criação de Dinho Nascimento com som super-grave) tocado com arco de violoncelo e berimbau de lata tocado com arco de rabeca. Vozes entoam os versos das ladainhas, corridos, chulas, samba e samba-de-roda. Instrumentos como o guimbarde ou trump (berimbau de boca), kalimba, caixa do divino, tambor de língua e de barrica, agogô, pandeiro, reco-reco, ganzá, triângulo, atabaque, matraca e palmas completam a sonoridade.

Sinfonia de Arame abre com a música Toque de Mestre, de Dinho Nascimento, inspirada num toque de capoeira chamado Iúna que é usualmente jogado apenas por mestres e contramestres. Embala Água, domínio público, adaptação de Dinho de Nascimento, no ritmo barravento, é uma invocação a Santa Bárbara (orixá Iansã) onde a voz é acompanhada pelos berimbaus, atabaques, tambor de barrica, tambor de língua e efeitos. Amazonas, outro toque de capoeira, tem a participação da Orquestra de Tambores de Aço da Casa de Cultura Tainá, de Campinas, interior de São Paulo . Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, é outro momento precioso do disco, que até engana os ouvidos mais experientes quando berimbaus em acordes dão a impressão de instrumentos convencionais. Puxada de rede, canção de domínio público, também com adaptação de Dinho Nascimento, é, segundo ele, uma ópera que retrata o cotidiano de antigos pescadores. Samba de roda, manifestação popular que saiu dos terreiros e ganhou a cidade, é outro momento sedutor que transmite alegria descontraída e sugere a dança. O Cd fecha com uma atípica releitura do Hino Nacional Brasileiro.

Sinfonia de Arame tem um projeto gráfico inovador que promove acessibilidade ao deficiente visual. A obra tem texto escrito em Braille em sua capa e miolo do encarte.

Integraram a Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene na gravação deste CD: Ana Flor de Carvalho (berimbau gunga), Bico-Duro (berimbau gunga e coro), Cecília Pellegrini (voz, efeito de folhas secas, agogô, triângulo, pandeiro e palmas), Décio Sá (berimbaus berra-boi, gunga, médio e viola), Dinho Nascimento (voz, berimbaus gunga e médio, berimbau com copo, berimbau de lata com arco de rabeca, berimbum, berimbum ecológico com arco de violoncelo, búzio, colheres, kalimba, vaso, n´tama, queixada de égua, tambores de língua e de barrica, lola, congas, atabaques, derbak, pandeiro, agogô, flexatone, reco-reco, zabumba, efeitos e palmas), Dja (palmas), Droca (berimbau gunga, coro, vocais e palmas), Fábio Salém (berimbau médio e coro), Fernando Soares (berimbau viola, coro, vocais e palmas), Gabriel Nascimento (voz, berimbau gunga, kalimba, congas, berimbau de beiço e xequerê), Gilvan Capoeira (berimbaus médio e viola, coro e palmas), João Nascimento (berimbaus gunga, médio e viola, pandeiro, timba, caixa do divino, cuíca, bumbo, atabaque lê, xequerê na caixa, tambor de máquina de lavar-roupa com vassourinha e surdo), Jorge Fofão (berimbau médio e coro), Marta Mursa (voz solo na faixa 12, contra-canto na faixa 09, coro, vocais, berimbau gunga e pandeirão com missangas), Paulinho Baraúna (berimbau médio, coro, vocais e palmas).

O CD ainda tem as participações especiais do Quarteto Pererê na canção Peixinhos do Mar, Toninho Carrasqueira nas músicas Sertão de Caicó e Toque de Mestre, Orquestra de Tambores de Aço na música Amazonas e Tião Carvalho na toada Puxada de Rede.
Sinfonia de Arame é um disco diferente, de momentos musicais originais que provocam reflexões e emocionam.

Ficha Técnica:

Concepção, Direção Artística e Produção Musical: Dinho Nascimento
Direção Musical: Dinho Nascimento e João Nascimento
Arranjos: Dinho Nascimento, TC (faixa 4) e Toninho Carrasqueira (faixa 9)
Produção Executiva e Fonográfica: Genteboa Produções
Gravação e Edição: Beto Mendonça, Estúdio 185
Mixagem: Beto Mendonça, Dinho Nascimento e João Nascimento
Masterização: Renato Coppoli, Zoing Studio
Design Gráfico: Cláudio Rocha
Ilustração: Jaime Prades
Fotografia: Raul Zito
Referências Bibliográficas: Raízes Musicais da Bahia (Emília Biancardi)
Concepção e revisão de braille: Paula França
Fonte braille: Tony de Marco
Impressão: Rettec Artes Gráficas e Oficina Tipográfica São Paulo (braille)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

FIUK E A BANDA HORI NO CITIBANK HALL - 30/10

Foto: Divulgação

Fiuk e a banda Hori vêm a São Paulo para única apresentação, dia 30 de outubro, no Citibank Hall. O show faz parte da turnê de 2010/2011 da banda, realizada pela parceria inédita entre a MC3 e a TIME FOR FUN, com direção de Joana Mazzucchelli (Polar Filmes) e apresentação da Intimus Teen e Schin Refrigerantes.

Os ingressos para o show no Citibank Hall já estão disponíveis na bilheteria do local, pela internet (www.ticketsforfun.com.br), pelo telefone 4003-5588 e nos demais pontos de vendas do país.

Segundo Joana, o show terá diversas inovações. "O cenário está todo diferente, uma decoração bem legal. A iluminação ficará mais rock'n roll, terão alguns painéis, que em um jogo com as lâmpadas darão este efeito bem bacana", conta a diretora.

O repertório também conta com novidades, como a entrada das canções "Diga Que Me Quer", nova música de trabalho da banda, e "Eterno para Você", feita especialmente para a trilha sonora do filme "Eclipse", da saga "Crepúsculo". Os grandes sucessos como "Quem eu Sou", "Só Você" e "Linda Tão Linda", que fizeram parte da trilha sonora "Malhação ID", da TV Globo, e as canções "Segredo", "23 de Novembro", "A Paz", "Verdade", entre outras, continuam nos shows.

Os integrantes, Fiuk (vocal), Xande Bispo (bateria), Max Klein (guitarra), Renan Augusto (guitarra) e Fê Campos (baixo), estão entusiasmados. "Preparamos esta turnê toda especial com muito carinho. Esperamos que a galera de todo o Brasil curta bastante. Queremos levar muita alegria, rock, diversão a todas as cidades do país e sentir toda a troca de energia que rola durante os shows. É muito bom", disse Fiuk.

Sobre a banda Hori

A Banda Hori, que foi criada por Fiuk, em 2003, assinou contrato com a gravadora Warner Music, em 2008, e no segundo semestre de 2009 lançou seu primeiro álbum, o homônimo Hori, apenas com músicas inéditas, e a regravação de "Só Você" de Vinicius Cantuaria.

Logo com a primeira música de trabalho, "Segredo", Hori estourou na internet. Em apenas três dias no YouTube, o clipe registrou aproximadamente 30 mil acessos. A música começou a tocar nas rádios de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ), dando mais visibilidade à banda que passou a fazer shows durante quase todos os fins de semana no estado de São Paulo.

No fim de 2009, o vocalista Fiuk, que já fez parte do elenco do filme "As Melhores Coisas do Mundo" de Laís bodanzky, foi convidado para integrar o elenco da novela teen "Malhação" e ganhou o papel do protagonista "Bernardo". Além disso, duas músicas da Hori entraram para a trilha sonora da novela: "Quem Eu Sou", canção de abertura, e "Só Você", tema de Bernardo. "O ano de 2009, foi um ano que nos trouxe muita coisa positiva. Estamos vivendo a realização de um sonho", diz o vocalista.

O Ano de 2010 começou muito bem para a banda, que iniciou a "tão esperada" turnê por todo o Brasil, batendo recorde de público a cada show. "Nossa é demais ver esse carinho todo dos fãs. Ver as casas de shows sempre cheias e uma emoção tão grande que não tenho nem palavras para explicar", comenta Fiuk.

Ainda no primeiro semestre do ano, Hori chegou com muitas novidades: Fez a música "Eterno para Você", composição de Fiuk, em versões português e inglês, especialmente para a trilha sonora do filme "Eclipse", o terceiro da "Saga Crepúsculo"; Gravou o seu segundo Clipe, com a música "Linda Tão Linda" com a participação especial da atriz Thaila Ayala.

Os integrantes da Hori já têm planos de lançar um DVD e mais um CD.

Serviço Fiuk + Hori
Realização: TIME FOR FUN
Local: Citibank Hall - Av. Jamaris, 213 - Moema
Site: www.citibankhall.com.br
Telefones para informações: 4003-6464
Venda a grupos: (11) 2846-6166 / 6232
Única apresentação dia 30 de outubro
Horário: 18h00
Duração espetáculo: aproximadamente 1h30
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 14 anos; 14 anos e 15 anos: permitida a entrada (acompanhados dos pais ou responsáveis legais); 16 anos em diante: permitida a entrada (desacompanhados)
Capacidade pista: 3150 lugares
Abertura da casa: 1h30 antes do espetáculo
Co-Patrocínio: Credicard/ Itaipava Premium/ Samsung
Seguradora Oficial: Allianz
Estacionamento: terceirizado: R$ 25,00 (com manobrista)
Acesso para deficientes
Ar condicionado

PREÇOS DE INGRESSOS
"Configuração Pista"
NORMAL
½ ENTRADA

NOS CAMAROTES
R$120,00
R$60,00

NA PISTA (1° LOTE)
R$ 50,00
R$25,00

NA PISTA (2° LOTE)
R$ 60,00
R$30,00




- Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário.

- Clientes dos cartões Credicard, Citibank e Diners contam com pré-venda exclusiva e poderão adquirir ingressos entre os dias 02/10 e 08/10.

- Ingressos promocionais destinados aos clientes CREDICARD, CITIBANK e DINERS que efetuarem compra, serão vendidos com 25% de desconto, todos os dias, na quantidade máxima estipulada de 10% da capacidade da casa por setor.

- Clientes dos cartões Credicard, Citibank e Diners que efetuarem compra via internet até 72 horas antes do evento, serão isentos de taxa de entrega.

- Clientes do cartão de crédito MasterCard podem optar pela tecnologia MasterCard ShowPass, no qual o cartão vira ingresso. Mais informações no site: www.mastercardshowpass.com.br

BILHETERIA OFICIAL - SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA

Citibank Hall: de 2ª a sábado, das 12h às 20h; domingos e feriados, das 14h às 20h - Av. Jamaris, 213 - Moema;

LOCAIS DE VENDA - COM TAXA DE CONVENIÊNCIA


Pontos de venda no link:
premier.ticketsforfun.com.br/content/outlets/agency.aspx

Central Tickets For Fun: por telefone, entrega em domicílio (taxas de conveniência e de entrega) - 4003-5588 (válido para todo o país), das 9h às 21h - segunda a sábado.

Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br (entrega em domicílio - taxas de conveniência e de entrega)

Formas de Pagamento:
Dinheiro, cartões de crédito American Express, Visa, MasterCard, Diners e Cartões de Débito Visa Electron e Rede Shop.

Festival Ponto.CE

O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – Centro – fone: (85) 3464.3108) acolherá uma série de shows e palestras do Festival Ponto.CE, no período de 3 a 6 de novembro (quarta-feira a sábado).

Abrilhantam a programação do Ponto.CE no CCBNB-Fortaleza os shows de Miguel Cordeiro e das bandas cearenses Concreto & Asfalto, Thrunda, Verona, Tubo na Batera, Facada, My Fair Lady, Dago Red, Inflame e Clamus, além da goiana Black Drawing Chalks e a capixaba Merda. Serão doze espetáculos ao todo, sempre de 16h às 20h.

As palestras acontecem às 14h, antes dos shows, e versarão sobre “Empreendedorismo cultural”, com Paulo Benevides (dia 3); “Experiências de associativismo e redes colaborativas na música”, com Amaudson Ximenes, Lucas Gurgel, Felipe Ferreira e Thaís Andrade (dia 4); e “Experiências com turnês no exterior”, com Ricardo Leão (banda River Raid, de Pernambuco), Talles Lucena (banda Full Time Rockers), Orlângelo Leal (banda Dona Zefinha) e Lucas Gurgel (banda SOH), no dia 6. Haverá, ainda, uma tarde de autógrafos com a banda Hevo, na sexta-feira, 5, às 15 horas.

Veja a seguir as sinopses sobre as bandas que se apresentam no CCBNB-Fortaleza, durante a quinta edição do Festival Ponto.CE:

Miguel Cordeiro

Canções de modo acústico, violões, violinos e violoncelos sempre fascinaram o artista. Suas novas composições, hoje, mesclam influências de músicos renomados como Glen Hansard, Damien Rice, Jeff Buckley, Moska e Vitor Ramil. Para acompanhá-lo nessa nova caminhada, ele conta com a parceria dos músicos: PH Oliveira (bateria), Renan Maia (baixo) e Rodrigo Cardozo (violino).


Concreto e Asfalto (pop-rock)

Banda de rock em fusão com outros gêneros musicais, residente em Fortaleza /CE. Suas principais influências são: The Beatles, Country Joe and The Fish, Pink Floyd, Sérgio Sampaio, Raul Seixas, Mutantes, Los Hermanos, Titãs, Paralamas do Sucesso, entre outros.

Thrunda (Punk-Rock)
Energia e velocidade à flor da pele, com letras de protesto e situações cômicas do dia-a-dia, é PUNK ROCK!!!

Tubo na Batera (Surf Music)

Natural Lidera a família TUBO NA BATERA, onde também é vocalista e autor das letras, e com vários parceiros, mandam um som que traz o feeling da água salgada que corre na veia dos surfistas e toca o coração de quem ama e vive a música.





Facada (Grindcore)

O Facada existe desde 2003 e já tem dois trabalhos no currículo: um CD demonstrativo e um full-length. A intensidade e a fúria de sua música já os fizeram viajar por quase todo Brasil, incluindo aí: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, sendo reconhecido pela mídia especializada e críticos musicais nacionais e internacionais, como uma das melhores bandas do grindcore. Em 2010, lançará seu segundo disco, chamado de “O Joio”, que foi mixado na Suécia e será lançado por quatro gravadoras, sendo três brasileiras e uma inglesa. O Facada hoje é: James (baixo e vocais), Dangelo (bateria) e Danyel (guitarra).



My Fair Lady (Metal)

Figurando como uma das maiores bandas de metal moderno do Brasil, o My Fair Lady traz uma nova proposta musical que engloba técnica, qualidade e maturidade em suas composições. A banda, que tem apenas dois anos de existência, conseguiu destaque dentro de seu segmento com rapidez e solidez, facilitando assim a sua entrada definitiva para o mercado fonográfico.



Merda (Rock)

Merda tem em seu line-up duas lendas do grindcore-favela; estes são Mozine (Guitarra / vocal) e Paulista (Bateria / vocais), da banda Mukeka Di Rato, Juntamente com Rogério Japa (Baixo / vocal).



Dago Red (Punk-rock)

O Dago Red faz um rock de garagem com forte influência do punk rock 1977, unindo essa linguagem ao powerpop. Suas letras descrevem histórias simples, sobre a individualidade das pessoas. Sem se prender a temas, o grupo traz consigo uma forte influência da literatura marginal.



Inflame (Rock Alternativo)

A banda cearense INFLAME surgiu na cena de bandas independentes de Maracanaú (CE) em meados de 2006. Com influências do grunge ao hard rock, como Pearl Jam, Audioslave, Alice in Chains, Guns’n’Roses, Led Zeppelin, Soundgarden, Temple of the Dog e Metallica, a banda cultivou suas composições e definiu seu estilo como rock alternativo. Decididos a tocar apenas suas próprias composições ,logo surgiu a necessidade de renomear o conjunto. Não houve dúvida quanto a escolha do nome INFLAME, pois representa perfeitamente o espírito da banda que incendeia o palco e o público em seus shows.



Clamus (Thrash/Death Metal)

Em meados de março de 1999, foi formado no Estado do Ceará o CLAMUS, banda de Thrash/Death Metal de peculiar identidade e força sonora. Tendo na bagagem dois CDs demonstrativos lançados, três videoclipes e um álbum oficial de excelente repercussão e participações em importantes festivais nacionais, o grupo vem obtendo continuamente o reconhecimento junto ao público e à mídia especializada. Valendo ressaltar suas músicas que, além de contar com três vocalistas, apresentam letras em francês, inglês e português.



Black Drawing Chalks (Stone Rock)

Com frequente exposição na mídia, longas turnês e participação nos maiores festivais do Brasil, o grupo conquistou três indicações ao VMB 2009, nas categorias Aposta MTV, Rock Alternativo e Videoclipe do ano, com o vídeo da música “My Favorite Way”, feito em uma parceria do coletivo Bicicleta Sem Freio com o estúdio Nitrocorpz, responsável por diversas vinhetas da MTV. Em 2009, o single "My Favorite Way" foi eleita pela Rolling Stone Brasil, a melhor música do ano.



Verona (Pop Rock / Alternativo)

 
Formada no fim de 2008 por quatro amigos de Fortaleza — João, Gerardo, Salsicha e Tatá — a banda, fazendo um rock pop alternativo autoral, vem se consolidando cada vez mais como uma das maiores promessas do rock cearense. O grupo tem uma bagagem considerável de shows. Em 2009, abriram para artistas como Beeshop (projeto solo de Lucas Silveira, vocalista da banda paulista Fresno) e a banda portuguesa The Aster. No primeiro semestre de 2010, foram convidados a abrir para a banda Fresno e a banda americana Amberlin.

Érica Pinna apresenta show “Frágil?”, em São Paulo

Apresentação tem participação especial do cantor e compositor Diogo Poças e marca estréia da cantora em carreira solo

A cantora Érica Pinna, estreia a carreira solo em show no próximo dia 27 de outubro, no Ao Vivo Music, em São Paulo. “Frágil?” tem direção musical de Fernando Nunes e leva ao palco sensualidade, atitude e questionamentos em torno do papel da mulher.

No show, Érica quer provocar reflexões e levar a audiência a uma jornada de emoções. A cantora não defende estilos de vida, apenas propõe uma maneira de viver.

No repertório, a jovem intérprete apresentará musicas inéditas de um dos novos nomes da MPB, a cantora e compositora Roberta Campos; duas versões modernas de músicas pops portuguesas: “Frágil”, de Jorge Palma, que dá nome ao show; e “Problema de Expressão”, do grupo Clã. Também na apresentação, o público ouvirá releituras de canções de Chico Buarque, Moska, Roberto Carlos, Madonna, Stevie Wonder e Diogo Poças, com participação especial do próprio Diogo.

O espetáculo tem direção do cineasta e roteirista Alexandre Ingrevallo e lança Érica Pinna em carreira solo depois de alguns anos como vocalista da banda de pop rock “Sir Duke”.

No palco, a cantora é acompanhada por Fernando Nunes no contrabaixo, Tuco Marcondes na guitarra, Kuki Stolarski na bateria e Adriano Maggo nos teclados.


Érica Pinna

- Musical West Side Story, em 2005 nos Estados Unidos

- Escola de Atores Wolf Maya

- Oficina dos Menestréis

- Apoio de Produção – Rádio Cultura Brasil

- 3 anos como vocalista da banda Sir Duke. A banda tocou em bares como Capital da Vila, Cozinha da Villa, e ainda fez eventos no Pão de Açúcar Supermercados, restaurantes, entre outros lugares.

Alexandre Ingrevallo

- Roteirista, produtor e diretor. Entre outros trabalhos, tem dois curtas-metragens premiados: “Vida: substantivo feminino” e “1x1”. Já trabalhou com Maria Zilda, Leonardo Miggiorin, Mariana Hein, Sebastião Maciel, Elder Fraga, Luciano Chirolli, Clara Carvalho e outros. Finaliza o terceiro filme, “Desconhecido Íntimo”, com previsão de lançamento em 2011.

- Apresentador e um dos produtores do programa “Galeria”, revista cultural e de variedades da Rádio Cultura Brasil.

Fernando Nunes

- Esteve ao lado de Cássia Eller, Nando Reis, Caetano Veloso, Elba Ramalho, Alejandro Sanz, Zizi Possi, Ivan Lins, entre outros. Atualmente toca com Zeca Baleiro, integra o trio Flenks, a banda Coffees e atua como produtor e diretor musical.

Tuco Marcondes

- Já tocou com Zélia Duncan, Fagner, Sérgio Britto, entre outros.

Atualmente toca com Zeca Baleiro e integra a banda Coffees, além de produção de jingles, e temas musicais para TV.
Kuki Stolarski

- Já acompanhou Hebert Vianna, Rita Lee, Seu Jorge, Daniela Mercury, Kamak, Ceu e ainda atuou em trilhas para cinema, como: Carandiru, Cafundó, e etc.

Atualmente toca com Zeca Baleiro, integra a banda Funk Como Le Gusta e os Coffees.

Adriano Magoo

- Já tocou com Zeca Baleiro, Marku Ribas, Tom Zé, Almir Sater entre outros. Atualmente integra a banda Coffees.

Serviço:
Quando: 27 de outubro, a partir das 22h30.
Onde: AO VIVO MUSIC – Rua Inhambú, 229 – Moema – São Paulo – Telefone: 5052-0072.
Quanto: Ingressos: R$ 20 reais
http://www.aovivomusic.com.br/

CANTORAS DO SEXY DOLLS FAZEM TOPLESS EM ESPELHO D’ÁGUA DO CONGRESSO NACIONAL

O famoso espelho d’água, que fica em frente ao congresso nacional, foi o local escolhido para um dos ensaios de divulgação da nova formação do grupo Sexy Dolls. As cantoras que recentemente lançaram o vídeo clipe da musica “Virgins” fizeram topless em um dos famosos símbolos da capital do Brasil.

Recentemente o atleta holandês Duncan Zuur, 34 anos, fez uma manobra de wakeboard no espelho d'água do Congresso Nacional. O esportista driblou a segurança e fez as manobras puxadas por uma espécie de guincho motorizado desenvolvido para esportes aquáticos.

O lançamento oficial do single será nesta quinta feira (21) em São Paulo.

CIRCUITO CULTURAL SESI NO INSTITUTO AFRO BRASILEIRO

QUARTETO DE CORDAS BRITTEN

O grupo homenageará dois grandes compositores austríacos: Mozart e Haydn. O concerto será realizado na quinta-feira (28/10), às 18h. A entrada é franca.

São Paulo, 22/10/2010 – Na quinta-feira (28/10), às 18h, o SESI–SP promoverá concerto com o Quarteto de Cordas Britten, na Faculdade Zumbi dos Palmares. Esta é uma das atrações gratuitas da programação musical prevista para Circuito Cultural SESI no Instituto Afro Brasileiro.
O repertório do grupo é destinado exclusivamente a obras de compositores austríacos, Wolfgang Amadeus Mozart e J. Haydn.



Histórico do grupo



Fundado em 1998, o Quarteto de Cordas Britten foi criado com o objetivo de levar, de maneira didática, a chamada música clássica a estudantes e público em geral, procurando formar novas plateias.
Durante as apresentações, os músicos fazem comentários didáticos sobre os instrumentos (violino, viola e violoncelo), compositores e obras executadas. No repertório, além do tradicional abrange, também, música brasileira, música sacra e música natalina.
O violinista Anderson Cardoso iniciou seus estudos com Nadilson Gama e graduou-se pela Unesp, sob a orientação de Ayrton Pinto.
Também violinista, David Gama iniciou seus estudos musicais no Rio de Janeiro e frequentou a classe de Michel Bessler na Universidade do Rio de Janeiro. Na capital paulista, ele estudou com Natan Schwartzman na USP e com Pablo de Leon. Atualmente, é orientado por Cláudio Cruz.
O violista Rafael Martinez iniciou seus estudos em violino e, a partir de 2000, passou a dedicar-se à viola. Estudou com Renato Bandel até o ano de 2003, quando passou a ser orientado por Peter Paz. Atualmente, ele estuda com Horácio Schaeffer e também toca na Orquestra Experimental de Repertório.
O violoncelista Rafael Cesário estudou na Universidade de Musica Tom Jobim. Venceu vários concursos de violoncelo, com destaque para o 1º. Lugar no Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio. É integrante, também, da Orquestra Experimental de Repertório. Atualmente, cursa a Faculdade de Música Santa Marcelina e estuda violoncelo com Eduardo Bello.




Músicos:
Anderson Cardoso (violino)
David Gama (violino)
Rafael Martinez (viola)
Rafael Cesário (violoncelo)
Programa

J. Haydn (1732 - 1809)
As sete últimas palavras de Cristo na Cruz
Introdução
O Terremoto

Quarteto, Op. 1 no. 3 em Ré Maior
Adagio
Minueto
Presto
Minueto
Presto

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 - 1791)
Quarteto K 157 em Dó Maior
Allegro
Andante
Presto

Quarteto K 159 em Si bemol Maior
Andante
Allegro
Allegro





SERVIÇO:
Circuito Cultural SESI no Instituto Afro Brasileiro – Quarteto de Cordas Britten
Local: Faculdade Zumbi dos Palmares – Instituto Afro Brasileiro Av. Santos Dumont, 843- Armênia/Clube de Regatas-Tietê
Data e horário: dia 28 de outubro (quinta-feira), às 18h.
Capacidade: 100 lugares
Informações: (11) 3229-4590

Classificação: livre
Entrada: Franca

SESI-SP e SENAI-SP / FIESP www.sesisp.org.br e www.sp.senai.br

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

CARLOS FERNANDEZ FAZ SHOW EM HOMENAGEM A TIM MAIA

Ao som de muito pop-rock, suíngue e malemolência, CARLOS FERNANDEZ convida o público para um passeio pelas diversas sonoridades da música negra. Suas músicas trazem a mescla de POP e Ritmos Latinos. A apresentação será marcada por canções autorais e uma pequena homenagem a TIM MAIA com canções que marcaram a trajetória do homenageado.

A simplicidade e carisma é a marca do artista que, em mais de 10 anos de carreira, continua lutando em busca de seus sonhos e ideais. Suas inquietações na busca de oferecer sempre o melhor de si o torna grande, capaz de dizer obrigado por estar simplesmente no palco, talvez por isso ele é um artista que compõem e escreve sua própria trajetória não somente pela sua arte, mas pela sua capacidade de transformar tudo ao seu redor. No show canções Talves, Parafernália – Pop-Brasileira, Energia Positiva de autoria do cantor e compositor Carlos Fernandez e parcerias. A homenagem será marcada por canções de suscesso que marcaram a carreira de TIM MAIA . www.carlosfernandez.com.br

Horário: 22 outubro 2010 de 22:30 a 2:00
Local: ESPAÇO CULTURAL E SOCIAL ASESP
Rua: Av Eng Armando de Arruda Pereira,2871 - Jabaquara
Cidade: São Paulo
Site : http://www.asesp.org.br
Telefone: (11) 2613-3296 (11) 3486-8416
Tipo de evento: pop- rock, mpb, homenagem, TIM Maia
Organizado por: I.D.E Shows e Eventos

Venda de Ingressos: www.evenka.com/carlosfernandez

R$12,00 ANTECIPADO R$ 6,00

Confirmação em lista (acaocultural@asesp.org.br)

domingo, 17 de outubro de 2010

Jullie abre o show de Emily Osment no Rio de Janeiro dia 31 de outubro

Foto: Christiano Menezes

Uma das grandes novidades do pop nacional, a cantora Jullie foi convidada para abrir o show de Emily Osment no Rio de Janeiro, dia 31 de outubro. Será uma ótima oportunidade para o público assistir ao vivo a performance dela, que aos poucos vai conquistando mais fãs pelo Brasil.

Assim como Emily (que interpreta Lily Truscott no seriado Hanna Montana), Jullie também é atriz e cantora. Ela lançou, em 2009, seu CD de estreia, “Hey!” (Deck), com o single homônimo, “Alice”, “Despertar” e outras. Esse ano gravou em dueto com o Joe Jonas (Jonas Brothers) a versão brasileira da faixa “Wouldn´t Change a Thing”, originalmente gravada por Demi Lovato.

Essa versão, que ganhou o título “Eu Não Mudaria Nada em Você”, é uma balada romântica que alterna frases em inglês e português, foi feita pela própria Jullie, e compõe a trilha sonora do filme “Camp Rock 2: The Final Jam”, da Disney.

A voz de Jullie já é conhecida. Além de cantora e atriz, ela já fez dublagens de diversos personagens, como Blair Waldorf, de “Gossip Girl” e das protagonistas de “Starstruck: Meu Namorado é uma Super Estrela”, "Tinker Bell" e “Boa Sorte, Charlie!”.

Trombonista Raul de Souza comemora 55 anos de carreira

Turnê passa por cinco cidades brasileiras

Nos próximos meses cinco cidades brasileiras terão a honra de receber em seus palcos um dos mais importantes trombonistas do mundo, o também brasileiro, Raul de Souza. Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre são as cidades que farão parte da turnê “Raul de Souza 55 anos”, que como o nome já sugere, comemora em grande estilo os 55 anos da carreira de Raul.

Acompanhado do grupo curitibano “NaTocaia”, Raul apresenta ao público o que anos de experiência e muito talento podem fazer com as habilidades de um músico como ele. Com um suingue próprio, Raul mostra suas composições e o que há de melhor na música instrumental que ele tanto domina. O instrumentista é um dos poucos que carrega em sua bagagem tantos encontros com outros gigantes como ele, tanto lá fora, como aqui: Hermeto Pascoal, Cal’Tjader, Lionel Hampton, Sarah Vaughan, George Duke, Stanley Clarke, Ron Carter, Frank Rosolino, Airto Moreira, Flora Purim e Milton Nascimento são só alguns dos nomes com os quais Raul já tocou nestes anos todos de carreira. O trombonista, que divide seus dias entre França e Brasil, é considerado uma referência da música instrumental em todo o mundo.
Ao lado de Glauco Sölter, Mário Conde, Jeff Sabbag e Endrigo Bettega, Raul apresenta um repertório que conta com composições próprias, como “À Vontade Mesmo” e “Jump Street”, mas abre espaço para “Inútil Passagem” de Tom Jobim e “Sweet Lucy” de George Duke. Pixinguinha, Glauco Sölter e Djavan também compõem o repertório deste esperado show.
Soma-se à experiência o apetite pelo novo e o músico, aos 76 anos, não pára: cerca-se de músicos inventivos e talentosos e compõe mais um capítulo dessa história recheada de encontros, prêmios, mais histórias e música, muita música.

A série de shows é produzida e idealizada pela Gramofone Cultural e tem patrocínio da Petrobras. A assessoria de Imprensa é da Transpira Produção Criativa.

Turnê Nacional RAUL DE SOUZA 55 Anos e NATOCAIA
Teatro HSBC – Curitiba
28 OUT – 20h30
Endereço: Av. Luiz Xavier 11, Rua das Flores
http://www2.hsbc.com.br/hs/quem_somos/cultural/hsbc-teatro.shtml
(41)3315-0040 / (41)3777-6528
Ingressos: R$ 5 inteira | R$ 2,50 meia | R$ 4,00 clientes HSBC

Teatro FECAP – São Paulo
9 NOV – 21h00
Endereço: Avenida da Liberdade, 532
http://www.teatrofecap.com.br/teatro.html
(11) 4003-1212
Ingressos: R$ 5 inteira | R$ 2,50 meia |

Teatro CIEE – Porto Alegre
10 NOV - 21h00
Rua Dom Pedro II, 861 - Bairro Higienópolis
http://www.teatrocieers.org.br/SiteTeatro/teatroCiee.do?m=doInitLocalizacao
(51) 3363-1111
Ingressos: R$ 5 inteira | R$ 2,50 meia |

Teatro Rival Petrobras – Rio de Janeiro
12 e 13 de NOV – 19h30
Rua Álvaro Alvim, 33 / 37 – Cinelândia
www.rivalpetrobras.com.br
(21) 2240-4469
Ingressos: R$ 5 inteira | R$ 2,50 meia |

Teatro Santa Isabel – Recife
5 DEZ – 19h00
Endereço: Praça da república, S/N
www.teatrosantaisabel.com.br
(81) 3355-3323 / 3355-3324
Ingressos: R$ 5 inteira | R$ 2,50 meia |

Música de qualidade na Fundação Ema Klabin

Todo o último sábado do mês, a Fundação Ema Gordon Klabin, no Jardim Europa, promove o Programa Tardes Musicais, com música de qualidade aquecendo as tardes dos paulistanos. No próximo dia 30 de outubro, o Grupo Jazz da Silva apresentará uma releitura de algumas composições do saxofonista John Coltrane, adaptadas para ritmos brasileiros.
Antes da apresentação de jazz, o visitante poderá, a partir das 15h, realizar uma visita monitorada ao Museu e conferir o acervo de 1.545 obras oriundas de quatro continentes e diversas civilizações. Entre elas, telas de mestres da pintura como Lasar Segall, Portinari, Di Cavalcanti,Tarsila do Amaral, Marc Chagall, Frans Post.
Assim como acontece nos museus de maior expressão no mundo, a Fundação Ema Gordon Klabin une, desde 2009, a música as artes plásticas, incentivando jovens músicos instrumentistas, formando novas plateias e oferecendo espetáculos gratuitos de alto nível artístico.
O recital de jazz acontece no Jardim da Fundação, que vale lembrar, foi projetado por Burle Marx, e é uma obra de arte a parte.

Serviço:
Tardes Musicais na Fundação Ema Klabin
Quando: Todos os últimos sábados do mês:
Horários: Jazz às 16h30, sem necessidade de reserva.
Visita ao acervo, a partir das 15h, mediante agendamento prévio.
Custo: - Entrada Franca
Endereço: Rua Portugal, 43, Jardim Europa - São Paulo
Mais informações: 011 3062-5245 ou pelo site www.emaklabin.org.br

MINUS BLINDNESS e RICARDO PRIMATA


Minus Blindness  convidou Ricardo Primata para canha na música “Rising of a Red Sun”, faixa instrumental do CD da banda.

Pitty compõe música inédita para a trilha do filme “Muita Calma Nessa Hora”

O longa chega aos cinemas dia 12 de novembro com trilha assinada por André Moraes

Dezessete músicas foram selecionadas para compor a trilha da comédia jovem “Muita Calma Nessa Hora”, maior lançamento nacional da Europa Filmes e RioFilme que chega às telas de cinema, em circuito nacional no dia 12 de novembro. Dessas 17, duas são canções inéditas compostas e interpretadas por Pitty e Leoni especialmente para o filme, ambas com o mesmo nome dessa divertida comédia: Muita Calma Nessa Hora.

André Moraes assina a trilha sonora do longa-metragem, dirigido por Felipe Joffily. Autor de trilhas premiadas no Brasil e no exterior, André é um dos mais prestigiados produtores musicais do cinema nacional, tendo recebido o prêmio de melhor trilha sonora pela Academia Brasileira de Cinema por seu trabalho em “Lisbela e O Prisioneiro”, além de ser indicado ao Grammy de melhor canção.
“A comédia pode te trazer muitas linhas e estilos musicais, por isso pude trabalhar com reggae, pop, rock, MPB e heavy metal. Tudo cabe muito bem no filme”, afirma André Moraes. O produtor explica ainda que a trilha de Muita Calma possui uma linha de “score”, algo mais incidental que se contrapõe às canções da trilha e ajuda a criar a balança do drama com comédia.

Para embalar as cenas cômicas do filme, André Moraes usou como referências comédias como “Man on the Moon” e “The Hangover”. “Muita Calma é o tipo de comédia escrachada e leve, o que permite trilhas mais variadas”, explica. Exemplo disso é a lista de músicas e intérpretes que compõe a trilha, que vai de Caetano Veloso (Menino do Rio), Gonzaguinha (O que é o que é), Jair Oliveira e Wilson Simoninha (A Saideira) a RedTrip (O Meu Lugar), Jota Quest (O Sol), Antônio Júlio Anastácia (Essa Menina), Quero Chiclete (Chiclete com Banana) e Seu Cuca (Minha Praia).

Também faz parte da trilha a música Tudo me Faz Lembrar Você, sample inusitado que a banda Jota Quest fez a partir da canção Sea, Sex and Sun, de Serge Gainsbourg. Além disso, há duas canções compostas e interpretadas por Pitty e Leoni especialmente para o Muita Calma Nessa Hora. “O trabalho da Pitty se somou ao projeto de uma forma sensacional, assim como o do Leoni. Ele já tinha feito uma canção muito boa para o filme, então regravamos com ele mesmo no vocal. O resultado ficou ótimo! Quando temos pessoas que se agregam de formas diferentes à trilha, o resultado é sempre positivo”, avalia André Moraes.

Produzido por Augusto Casé e Rik Nogueira e dirigido por Felipe Joffily, “Muita Calma Nessa Hora” estreia dia 12 de novembro nos cinemas.

Espetáculo "O QUÊ?!" cumpre temporada até dezembro, no MUBE.

Em cartaz até 17 de dezembro no Auditório do MUBE

O amor em tempos de ditadura militar é o tema da peça “- O quê?!” da Cia Teatral Pinguém é Nerfeito. As apresentações acontecem no Auditório do MuBE (Museu Brasileiro de Escultura), que inaugura a abertura de seu espaço para o teatro.
Nesta comédia urbana, que participou este ano do Festival de Teatro Cidade de São Paulo e do Festival de Teatro de Curitiba, personalidades como o então presidente Costa e Silva e os líderes estudantis José Dirceu e Luis Travassos, surgem como personagens ocultos, num cenário de acontecimentos verídicos, como o congresso da UNE em Ibiúna, a prisão dos líderes do movimento estudantil, o seqüestro do embaixador americano, o decreto do AI-5, até culminar na final da Copa de 70.
Segundo o diretor Leandro Baião, que participou do movimento quando estudante da PUC-SP, a criação do espetáculo foi baseada na pesquisa e elaboração de cada um dos personagens, na concepção estética e cênica, e no modo de contar a história.

“Buscamos fazer dentro do espetáculo uma grande interação das artes, misturando o teatro, as artes plásticas (com os quatro grandes painéis cenográficos de três metros de altura por cinco metros de largura, pintados à mão como quadros expressionistas) e o cinema (com o telão onde serão vistas algumas cenas gravadas anteriormente, como no cinema).”
Criada em 2001 e dirigida desde então por Leandro Baião, a Cia Teatral Pinguém é Nerfeito conta com nova formação desde 2008. O grupo é formado por quatro integrantes que vêem na vida cotidiana a inspiração para o teatro: “Os estudos para o desenvolvimento das peças são sempre baseados em comportamentos que vemos no dia a dia, desta forma, levamos ao público uma realidade próxima dele”, comenta o diretor.
Site: www.pinguemenerfeito.com.br
Blog: www.pinguem.blogspot.com

MIM finaliza “Quero Ver Seu Bang Bang”

Irreverente, poderosa e glamourosa. A cantora, compositora e performer MIM lança em outubro seu primeiro CD pelo selo Vigilante (Deck). “Quero Ver Seu Bang Bang” traz MIM em uma fase mais pop; depois de flertar com o punk, o experimental, o rock e o electro, ela chega em 2010 com uma bagagem e aprendizado que ajudou na composição do novo álbum.

Todas as faixas foram produzidas através da internet e MIM gravou, editou e criou o conceito em seu estúdio caseiro. Algumas produções foram feitas diretamente da Argentina com o produtor Stigma, e no Brasil MIM completou o disco com parcerias quentes como Plínio Profeta (Renato Godá, Kelly Key, O Rappa, Fernanda Abreu e outros) nas faixas “Pra Frentex Safadona” e "Hipnotizar". Além dele, JR Tostoi (Lenine, Pedro Luis), produtor do primeiro álbum da cantora, também colaborou como produtor em “The Adeus”, um lado mais trip hop do disco.

O disco “Quero Ver Seu Bang Bang” será lançado nos formatos digital e CD.

domingo, 10 de outubro de 2010

Norah Jones, ganhadora de 9 Grammy, traz seu trabalho The Fall

Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre vão receber agora em novembro os shows do mais maduro trabalho da artista, que em The Fall experimenta sons diferentes e um novo grupo de colaboradores, entre eles o produtor Jacquire King, que trabalhou com Kings of Leon, Modest Mouse, e Tom Waits. Norah Jones está lançando mundialmente este mês o disco “...Featuring”. A turnê tem patrocínio da Redecard e Stella Artois.

Com 11 discos gravados, o cantor, compositor, produtor e guitarrista Jesse Harris, autor da música “Dont know why?”, que rendeu a ele Grammy de melhor música, faz o show de abertura da apresentação da artista em todas as cidades agendadas

A pista para The Fall começou a se revelar um ano antes de seu lançamento, quando Norah Jones escreveu a primeira das músicas que figuram no projeto. “Fiz alguns demos no meu estúdio de casa e, com alguns amigos, criamos um arranjo bacana para a música 'Chasing Pirates', com belo arranjo de bateria. Foi por um caminho inesperado, e essa se tornou a direção a ser explorada”, conta.

“Para este disco, eu só tinha um som na minha cabeça, queria que os grooves estivessem mais presentes e pesados. E também queria fazer algo diferente – tenho trabalhado com o mesmo grupo de músicos por longo tempo, e achei que seria um bom momento para trabalhar com pessoas diferentes e experimentar um pouco”, diz Norah Jones.

O novo trabalhou se incorporou com justiça ao conjunto de álbuns – três deles ganhadores de Grammy e disco de platina - de Norah Jones, que já venderam 36 milhões de cópias em todo o mundo.

Em The Fall a lista de colaboradores novos de Norah Jones é extensa. O produtor Jacquire King a ajudou a reunir um grupo de músicos, incluindo os bateristas Joey Waronker (que tocou com Beck e R.E.M), e James Gadson (do grupo de Bill Withers), o tecladista James Poyser (Erykah Badu, Al Green) e os guitarristas Marc Ribot (Tom Waits, Elvis Costello) e Smokey Hormel (Johnny Cash, Joe Strummer). A artista também uniu forças com vários cantores notáveis no novo álbum, incluindo Ryan Adams e Will Sheff, do grupo Okkervil River, bem como com seu frequente colaborador Jesse Harris.

Em um de seus discos preferidos, “Mule Variations”, de Tom Waits, Norah viu o nome de Jacquire e encontrou elementos do trabalho que pretendia incorporar. “Tom Waits caminha no equilíbrio entre ser belo e o áspero, e também muito natural.”

Trata-se de uma mudança acentuada, que pode ser comparada à sua saída do Texas, aos 20 anos, para morar em Nova York, levando o sonho de ser cantora de jazz. Entre sessões de jazz e shows no The Living Room, refúgio de cantores e compositores, ela começou a compor “sentada na cama no meu pequeno apartamento na Rua 13”. Foi apresentada a Bruce Lundvall, diretor da Blue Note, o que resultou no seu primeiro disco, Come Away With Me, ganhador de disco de diamante.
Por conta do sucesso alcançado, Norah foi convidada a colaborar com vários artistas, de Dolly Parton, Willie Nelson e Ray Charles a Andre 3000, do Outkast, Q-Tip, e o grupo de comédia de Andy Semberg, The Lonely Island. Ser exposta a todos esse sons a ajudou a abrir a mente em direção a novas formas de criar sua própria música.

Conforme trabalhava com múltiplos grupos de artistas em estúdios em Nova York e Los Angeles, ela e o produtor King continuaram avançando com a experimentação musical. “Há uma música chamada 'Light as a Feather' que eu escrevi com Ryan Adams, e para este álbum queria ficar afastada do meu lado country, então precisei achar uma forma de fazer essa canção funcionar e amarrá-la com as outras”, explica. “Conseguimos isso tirando a guitarra, e tinha esse sample louco de órgão que soava como uma lâmina de barbear por baixo de tudo. Foi um momento especial, no qual percebi que você pode simplesmente tirar alguns elementos e ter algo totalmente novo.”

Nova roupagem também foi dada a músicas construídas mais jazzisticamente por Norah, como “It's Gonna Be”. “Essa era uma música com swing, muitas palavras, que poderia ter ficado bem melosa. Mas Robert DiPietro, baterista, criou uma parte que era metade Gene Krupa, metade Adam Ant, e tornou a música completamente diferente. O ritmo realmente ditou o som nessa canção.”

Da balançante batida pesada de “Stuck” a uma balada intimista como “Back to Manhattan”, persistem em The Fall a originalidade e expressividade do canto da artista. Essa parte do processo de gravação fluiu mais fácil para ela do que em ocasiões anteriores. “Eu estava muito mais relaxada sobre os meus vocais”, diz. “Eu nunca fui realmente obsessiva sobre isso, mas nessa gravação eu estava mais focada em todo o resto que estava acontecendo, então eu apenas relaxei e cantei.”

Além das mudanças em seu canto, seu trabalho instrumental, e mesmo na concepção de seu próprio som, ela sustenta que o trabalho de composição é a base de sua nova abordagem. “Estou mais velha, e isso transparece no que escrevo. Sempre me preocupei com o ofício de escrever, porque era nova nisso, mas agora não tenho mais medo de simplesmente tentar alguma coisa. Tenho confiança suficiente para colocar para fora e ouvir.”

A lista completa do álbum The Fall:

1. Pirates Chasing ( Norah Jones)
2. Even Though ( Norah Jones Harris / Jesse )
3. Leve como uma pena ( Norah Jones / Ryan Adams )
4. Young Blood ( Norah Jones / Martin Mike )
5. I Wouldn't Need You ( Norah Jones)
6. Espera ( Norah Jones)
7. It's Gonna Be ( Norah Jones)
8. Você arruinou Me ( Norah Jones)
9. Back To Manhattan ( Norah Jones)
10. Stuck ( Norah Jones / Will Sheff )
11. Dezembro ( Norah Jones)
12. Diga Yer Mama ( Norah Jones / Jesse Harris Julian Richard /)
13. Man Of The Hour ( Norah Jones)

Aretha Marcos fará show em São Paulo



Aretha Marcos, considerada uma das revelações da nova safra de cantoras da Música Popular Brasileira, fará o show de lançando do seu primeiro álbum da fase adulta, nos dias 19 e 26 de outubro, as terças-feiras, no Teatro Juca Chaves, localizado na Rua João Cachoeira, 899, em São Paulo.

O show será recheado de surpresas e musicalidade, como a própria cantora define. “Terei participações especiais nos dois dias, além de músicas inéditas e muita interpretação musical”, conta Aretha que está sempre atenta aos sons contemporâneos como as grandes divas da música Nana Caymmi, Nina Simone, Aretha Franklin e Billie Holiday.

Para quem pensa em um show homogêneo, engana-se, pois o repertório transita entre o moderno e vintage com composições próprias como a romântica Tudo que Posso Com Você e a brega A mulher do Sacana. Além de regravações como Non Je Ne Regrette Rien, A Little Less Conversation e Because. Sem contar a tragicômica Escada a Baixo, a deliciosa Tempero e a clássica Resposta ao Tempo.

Aretha não deixa sua origem de lado e também traz para o palco a canção Como Vai Você, de Antonio Marcos, e acompanhada de sua mãe Vanusa, canta a “mais bonita declaração de amor dos últimos anos”, segundo Aretha.

Outros convidados como Kleber Albuquerque, Diego Figueiredo e a banda River Boat's Jazz participarão do show em canções inéditas e momentos muito especiais.

O público receberá será presenteado com a presença de palco e com a voz marcante de Aretha que, depois de 30 anos de carreira, tem muito a oferecer, pois a vida que lhe deu este destino e, hoje, a cantora pode mostrar o resultado com personalidade e autenticidade. “Este momento me espera há anos. Tenho certeza que o meu reencontro com o palco será mágico, afinal, Aretha Marcos mostra que a pessoa é para o que nasce”, brinca Aretha.

Serviço:

SHOW DE LANÇAMENTO DO CD ARETHA
Local: Teatro Juca Chaves
Horário: 21h
Endereço: Rua João Cachoeira 899 – Itaim Bibi (Dentro do Extra Itaim - estacionamento gratuito)
Valor: 30,00 (inteira) e 15,00 (meia)

Link vídeos: http://www.cotashows.com.br/artista/aretha/videos
Link músicas: www.myspace.com/oficialarethamarcos
Link para lembrar: http://www.youtube.com/watch?v=EsJqVr34Kfk&feature=player_embedded


Sobre Aretha Marcos

Filha do cantor Antônio Marcos e da Cantora Vanusa, Aretha começou sua carreira ainda criança fazendo especiais para a Tv Globo na década de 80 como a Arca de Noé, o Vinícius para Crianças, o Plunct... Plact... Zum. Depois, atuou em peças de teatro e cantou com ícones da música brasileira como Chico Buarque (O caderno), Ney Matogrosso (Cérebro e Galinha D’angola), Maria Bethânia (Brincar de viver), Baby Consuelo (Emilia), Bebel Gilberto (Lindo Balão Azul) e o Tremendão Erasmo Carlos.

Em 2007, Aretha produziu o CD e DVD Aretha Marcos ao Vivo Homenageia 60 Anos de Antônio Marcos, em uma obra única e emocionante com canções eternizadas na voz de Antônio Marcos, resgatadas por ela e produzidas por Bocato. Depois disso, Aretha continuou investindo em ritmos populares aproximando-se cada vez mais do seu público. Passou então a marcar presença nos palcos de todo o Brasil, inclusive no Bar Brahma, em São Paulo, com uma temporada do show “Samba, Bossa,Jazz e algumas cositas mas”.
Agora, em sua fase adulta, Aretha transforma sua personalidade marcante em arte e boa música.

Sobre o CD
Aretha Marcos ousa mais uma vez e lança o apimentado álbum ARETHA. O CD traz 11 canções com arranjos dos músicos que sempre a acompanharam e uma novidade... duas composições próprias: “Tudo que posso com você” e a brega “A mulher do sacana”. Além das regravações de Non Je Ne Regrette Rien, Resposta ao Tempo, A Little Less Conversation e Because.

O CD também apresenta ao público grandes promessas da composição brasileira como Eduardo Pitta e Xande Mello (Escada Abaixo), Marília Duarte (Malabarista) e o já conhecido Kleber Albuquerque (Na Telha).
O resultado você poderá conferir a partir de setembro nas lojas de todo o Brasil. Um som intenso que mistura ritmo, interpretação, emoção, alegria e carisma.

André Abujamra só para menores

Editora Aymará e Livraria da Vila promovem pocket show de lançamento dos audiolivros da Coleção Cidade Educadora no próximo dia 12 de outubro


Muitos não sabem, mas dia 12 de outubro, além de dia das crianças também se comemora o dia nacional da leitura. Pensando nisso, Livraria da Vila e Editora Aymará promovem o pocket show de lançamento dos Audiolivros da Coleção Cidade Educadora, com André Abujamra. No repertório, músicas que foram inspiradas em histórias infantis criadas pelo escritor José Ricardo Moreira e que fazem parte dos livros das Histórias e Ideias da Coleção Cidade Educadora, da editora Aymará.

André Abujamra já é reconhecido como compositor para obras infantis por suas produções musicais em filmes e para a série da TV Cultura, Castelo Rá-Tim-Bum. Neste novo projeto, André foi convidado para compor todas as músicas relacionadas às histórias da Coleção Cidade Educadora, 44 ao todo. “Li todos os livros da Coleção e fui criando as músicas, muitas vezes pegava um fiozinho da história e desenvolvia a canção”, conta.

Audiolivros Coleção Cidade Educadora

Todos os audiolivros da Aymará foram pensados de forma a reunir, além das histórias narradas e de músicas inéditas, uma série de outros recursos para inicialização musical, como partituras e letras das músicas. A coleção de audiolivros traz riqueza de ritmos musicais, cada um explorado em uma história. O CD é acompanhado por um caderno de atividades com propostas pensadas e elaboradas para o desenvolvimento do trabalho educativo com música na escola e também em casa, com a família e amigos.

Com o projeto a Aymará propõe uma nova forma para ouvir histórias. Isso possibilita a autonomia da criança, que tem à disposição um recurso que ela mesma opera, em seu tocador de som, e ainda pode compartilhar as narrativas com o irmão, amigos e familiares. Os audiolivros possibilitam que mesmo aquelas crianças que ainda não sabem ler tenham contato com uma história.

Segundo a professora Marta Morais da Costa, diretora do Centro Pedagógico da Aymará, “com o audiolivro a criança cria empatia com a narrativa, tem vontade de ouvir mais de uma vez e a história acaba maturando por um tempo maior no raciocínio. Além disso, as obras da Coleção Cidade Educadora e também os audiolivros, sempre fazem menção à cidadania e valores, o que torna todos os materiais produzidos pela Aymará ainda mais representativos”, finaliza.

Além da venda no varejo em livrarias, os audiolivros da Coleção Cidade Educadora também são opção de compra para escolas. Em São Paulo, a secretaria de educação de Praia Grande adquiriu os audiolivros como mais um recurso pedagógico para os alunos da rede municipal.

Serviço:

Pocket show de lançamento Audiolivros Coleção Cidade Educadora com André Abujamra
Músicos: André Abujamra e João Egashira (diretor musical da Orquestra à Base de Cordas do Paraná)
Local: Livraria da Vila Shopping Cidade Jardim
Data: 12 de outubro, terça-feira
Horário: das 16h30 às 17h30
Preço Audiolivros: 32,90
Faixa etária indicada de 3 a 10 anos.

Títulos disponíveis:
A rua de todos nós
Minha casa, sua casa
Ninguém sabe, ninguém viu?
O Dia do Benquerer
O dia do curativo
O gigante mindinho
Onde está o meu tesouro?
Que coceira!
Quem não viu, que veja agora
Quem perdeu, você ou eu?
Quem tem medo, quem não tem?
Tem morador no armário
Tô de mal!
Uma festa no ar
Um dia para a vida inteira
Um lugar para todo mundo

Ivete Sangalo faz show gratuito em Guarulhos no dia 17

Cantora traz à cidade show do DVD gravado em Nova York. Ingressos devem ser trocados por donativos, que serão encaminhados às famílias carentes da cidade

A cantora Ivete Sangalo se apresenta em Guarulhos (Grande São Paulo) no próximo dia 17 (domingo), a partir das 20h. Com apoio da Prefeitura Municipal, o show será no Parque da Universidade, no bairro dos Pimentas. A cantora traz à cidade a mesma apresentação do DVD Multishow ao Vivo: Ivete Sangalo no Madison Square Garden.
Os portões serão abertos às 11h e a partir das 13h um trio elétrico terá apresentações da dupla Caio César & Diego, das bandas Beijo e Caldeirão, e dos grupos Novo Toke e Nuwance.
A organização do show envolve mais de quinhentos profissionais e quinze toneladas de equipamentos de luz e som, além de seis telões de alta definição. A segurança dos fãs será garantida por 300 policiais militares e 200 guardas civis municipais. A estrutura também conta com postos médicos, ambulâncias e praça de alimentação.
Os ingressos devem ser trocados por um quilo de alimento não-perecível. A troca começa nesta sexta-feira (8), a partir das 14h em 14 postos espalhados pela cidade. A arrecadação é destinada às entidades atendidas pelo Fundo Social de Solidariedade de Guarulhos.

Serviço:
Show - Ivete Sangalo
Data: domingo (17)
Horário: 20h (Abertura dos portões: 11h)
Local: Parque da Universidade (Avenida Juscelino Kubitschek, s/n, Bairro dos Pimentas, Guarulhos)
Quanto: gratuito (ingressos devem ser trocados por 1 quilo de alimento não perecível)

Postos de troca de ingressos
Horário: de segunda a sexta, das 9h às 18h.

Auto Escola Gopoúva
Avenida Nossa Senhora Mãe dos Homens, 130 - Vila Progresso
Avenida Capitão W. Ribeiro, 31 - Jd. Cumbica
Avenida Papa João Paulo I, 3.373 - Jd. Presidente Dutra
Estrada de Nazaré Guarulhos, 2497 - Jd. São João

Shopping Internacional
Rodovia Presidente Dutra, km 230 (em frente ao Hipermercado Extra)

Coordenadoria do Fundo Social de Solidariedade
Alameda Tutóia, 534 - Gopoúva

Regional Cumbica
Rua Manzagão, 194 - Jd. Nova Cumbica

Regional Vila Galvão
Praça Cicero Miranda S/N

Regional São João
Avenida Coqueiral, 100

Regional Pimentas
Rua Itália, 13

Fácil Bom Clima
Avenida Bom Clima, 49 – Jd. Bom Clima

Sindicato dos Bancários de Guarulhos
Rua Paulo Lenk ,128 - Centro

Loja Marideusa
Rua 7 de Setembro, 280 - Centro

Gelateria e Pastelaria Dona Delícia
Rua Avelino Alves Machado, 67 - Paraventi

MADE IN BRAZIL COMEMORA 20 ANOS

Made In Brazil, maior loja de instrumentos musicais do País e referência na América Latina, comemorou os 20 anos da marca no dia 07 de outubro, com um coquetel para convidados. A "festa” que aconteceu na mais recente loja da rede, no Barrashopping, no Rio de Janeiro, contou com um pocket show da cantora Myllena, que agitou o público presente com os seus sucessos.
O proprietário da Made In Brazil, Marcelo Tadeu Aziz, recebeu no coquetel os amigos, personalidades, fornecedores e parceiros da marca. Entre os presentes estavam os integrantes da banda Biquíni Cavadão e o cantor e ator Bruno Miguel. “A Made In Brazil fez 20 anos e comemoramos com a abertura desta nova filial no Rio, que está belíssima e super completa. Esperamos continuar por muitos anos atendendo com a mesma qualidade, eficiência, diferencial e expressividade que a nossa marca representa”, afirma Aziz.

Durante uma hora, Myllena, interprete das músicas “Cérebro Eletrônico”, tema de abertura da novela “Tempos Modernos”, “Quando”, tema da novela Caras e Bocas, “Apenas Mais uma de Amor”, na trilha sonora de Malhação ID, “Meu Jeito”, que é uma das mais pedidas nas rádios do País, entre outras, parou o coquetel e prendeu a atenção de todos com a sua voz firme e envolvente e sua personalidade musical que mescla a atitude do Rock com arranjos da MPB e a alegria do Pop. “A Made In Brazil é uma loja que sempre gostei muito. Para mim é uma honra fazer parte desta comemoração de 20 anos”, comenta a cantora.

A Made In Brazil foi fundada em 1990 em São Paulo e, hoje, possui sete lojas pelo Brasil: três na Capital Paulista, uma em Santo André (SP), uma em Brasília (DF), uma em Porto Alegre (RS), e a mais nova loja, do Rio de Janeiro (RJ). Sempre preocupada com o atendimento e com serviços diferenciais, a Made In Brazil trouxe para o País o conceito americano de Music MegaStore, com padrões internacionais, permitindo que os clientes possam sentir, tocar e avaliar instrumentos expostos nas lojas.

Para saber mais acesse: http://www.madeinbrazil.com.br/

Ultra Music Festival dobra de tamanho‏

O UMF Brasil, formato original do Ultra Music Festival, o mais premiado festival de música do mundo, confirma apresentação de Faithless (DJ Set) no evento do dia 6 de novembro de 2010. Rollo e Sister Bliss são convidados de Carl Cox, que lançará pela primeira vez na América Latina sua mega Carl Cox & Friends Arena, com mais Moby (DJ set), Fedde Le Grand e Yousef.

Também chegam para completar as novidades do line-up, Grum e Simian Mobile Disco. Fatboy Slim, Above & Beyond, Groove Armada (DJ set), Kaskade e Afrobeta (banda ao vivo) são as primeiras atrações confirmadas para o festival.

Para melhor acomodar tamanha estrutura, a UMF Brasil anuncia novo endereço para a Estação Ultra. Com o dobro do espaço (100 mil m2), a Chacára do Jockey será a sede do evento que contará com Jim Baggott, o diretor de produção internacional do Ultra e responsável pela abertura da "Copa do Mundo FIFA Kick Off Concert” na África do Sul, para coordenar uma equipe de 200 pessoas nessa montagem cheia de ineditismo.

O Ultra Music Festival acontece em Miami todo mês de março durante o Winter Music Conference e já recebeu cinco International Dance Music Awards (2010, 2009, 2008, 2007 e 2005), premiacão considerada o Oscar do segmento, na categoria Best Music Event. O festival é famoso por apresentar os melhores DJs e bandas do mundo juntos em uma super produção.

O UMF Brasil acontecerá no sábado, 6 de novembro de 2010, e, como o Ultra Miami, terá duração de 12 horas (a partir do meio dia). Os ingressos começarão a ser vendidos no dia 5 de outubro (detalhes abaixo). Mais informações no site oficial do evento www.ultramusicfestival.com.br.

Serviço

UMF Brasil 2010
Dia: 6 de novembro de 2010 (sábado)
Horário: de meio-dia à meia noite
Local: Chácara do Jockey
Endereço: Av. Professor Francisco Morato, 5100.

Preços
Pista: R$ 160,00 (lote promocional)
Camarotes Ultra: R$ 320,00
Camarote Ultra Vip (open bar): R$ 600,00
Mais informações: 4003 1212 ou acesse o site http://www.ingressorapido.com.br/

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Série TUCCA de Concertos Internacionais reúne grandes nomes para apresentar a Nona Sinfonia de Beethoven

Gabriella Pace, Luciana Bueno, Eric Herrero, e Licio Bruno acompanhados por Rodrigo de Carvalho, regendo a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, se apresentam na Sala São Paulo 

O espetáculo de outubro da série TUCCA Internacional de Concertos reunirá grandes nomes para interpretar uma das mais conhecidas obras do compositor Ludwig van Beethoven, a Nona Sinfonia. Sob a regência de Rodrigo de Carvalho, a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo será acompanhada pelo quarteto vocal formado pela soprano Gabriella Pace, pelo tenor Eric Herrero, pela mezzo-soprano Luciana Bueno e pelo baixo-barítono Licio Bruno. A apresentação será em 05 de outubro, terça-feira, às 21 horas, na Sala São Paulo.


A ideia de compor a Nona Sinfonia surgiu quando Beethoven leu os versos de Ode à Alegria, do poeta, filósofo e historiador alemão Friedrich Schiller. A decisão de compô-la surgiu em sua adolescência e só foi concretizada 32 anos depois, em 1824, quando o compositor já estava em estado avançado de surdez. Beethoven apresentou a sua obra ainda em 1824 e essa foi a última vez que ele pisou em um palco.

"Nessa obra, Beethoven estabelece a voz humana como o mais importante e potente dos instrumentos musicais, e com ela transmite sua afirmativa declaração de amor à vida. Este monumento sonoro e artístico é de tamanha envergadura que poucas obras na história da arte podem ser comparadas a ela!", afirma o maestro Rodrigo de Carvalho.

Realizada há dez anos pela TUCCA, para que crianças e adolescentes carentes com câncer tenham direito a receber tratamento digno e a alcançar todas as chances de cura possíveis, com qualidade de vida, a série TUCCA Música pela Cura abrange a Série TUCCA Internacional de Concertos e a Série Aprendiz de Maestro.


Serviço
Música pela Cura 2010
Série TUCCA de Concertos
Concerto: Nona de Beethoven
Atrações: Orquestra Sinfônica Municipal e Coral Lírico, Rodrigo de Carvalho (regente), Gabriella Pace (soprano), Eric Herrero (tenor), Luciana Bueno (mezzo-soprano) e Licio Bruno (baixo-barítono)
Dia: 05 de outubro
Horário: 21 horas
Duração: 80 minutos
Local: Sala São Paulo
Classificação: livre
Ingressos: TUCCA (http://www.tucca.org.br/) – 3057.0131/2344.1051 – ou Ingresso Rápido (http://www.ingressorapido.com.br/) – 4003.1212
Preços: Setor IV  R$ 50,00 / Setor III R$ 70,00 / Setor II R$ 90,00 / Setor I R$ 120,00

Sobre Gabriella Pace
Iniciou seus estudos musicais e de canto com o pai, o tenor e violista Héctor Pace. Como bolsista da Vitae, estudou com Leilah Farah e Pier Miranda Ferraro, na Itália. Recebeu o Prêmio Carlos Gomes de Música Erudita. No IX Festival Amazonas, participou de O Anel do Nibelungo e, ainda neste festival, em 2006, foi Desdemona, em Otello, de Rossini. Em seguida, foi Giulietta, em I Capuleti e i Montecchi, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2007, cantou o papel de Susanna em As Bodas de Fígaro também neste teatro, gravou os Requiem Hebraico e Nona Sinfonia de Beethoven com a OSESP e foi Norina em Don Pasquale, no Teatro Colón, Bogotá. No ano seguinte, apresentou-se em Bogotá com A Criação, de Haydn. No XII Festival Amazonas de Ópera integrou os elencos de Ça Ira, Turandot e Ariadne auf Naxos e. Em agosto participou da mesma ópera no Theatro Municipal de São Paulo. Logo depois foi Musetta em La Bohème, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e em dezembro solista do Lobgesang, no Theatro Municipal de São Paulo. Já em 2009 apresentou-se no Stabat Mater de Rossini e na Missa de Requiem de Mozart, com a Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e com o Quarteto de Cordas Raga cantou o Quarteto n. 2 Op.10 de Schoenberg, na Sala Cecília Meireles. Neste segundo semestre, Gabriella foi a personagem principal em A Menina das Nuvens, de Villa-Lobos, no Palácio das Artes, além de ter agendadas apresentações em Bogotá, Recife e São Paulo.

Sobre Eric Herrero
"Quem brilhou mesmo foi Eric Herrero [...] e a plateia delirava no final", escreveu Arthur Nestróvski sobre a atuação de Herrero como Roberto na ópera Le Villi, de Puccini, sua estreia no Theatro Municipal de São Paulo, na temporada de 2008. Reconhecido pela crítica como um dos nomes mais promissores da nova geração de cantores líricos do Brasil, já interpretou grandes personagens do repertório operístico, entre eles Edgardo, da Lucia di Lammermoor, de Donizetti; Tebaldo, da I Capuleti ed I Montecchi de Bellini; Don José, da Carmen, de Bizet;  Rodolfo, da La Bohème, de Puccini; Pinkerton, da Madama Butterfly do mesmo compositor; o índio Jurupari, na estreia mundial de Poranduba, de Villani-Côrtes. Em 2008 e 2009, interpretou na França os personagens Hoffmann, de Os contos de Hoffmann, de Offenbach, e Alfredo, da La Traviata, de Verdi. Participou de masterclasses com Fiorenza Cossotto, Jaume Aragall e Michel Plasson. Atualmente, é orientado pelo soprano húngaro Sylvia Sass.

Sobre Rodrigo de Carvalho
Regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, e regente convidado permanente da Orquestra Sinfônica MÁV, de Budapeste, o paulistano Rodrigo de Carvalho iniciou seus estudos musicais ao violino e piano em Tatuí (SP) e veio a graduar-se, summa cum laude, em regência orquestral na Academia de Música Ferenc Liszt, de Budapeste, e na Universidade de Música de Viena. Selecionado para todos os principais concursos internacionais de regência orquestral, Rodrigo de Carvalho se apresentou para plateias na Itália, França, Alemanha, Espanha, Polônia, Dinamarca, Finlândia, Estados Unidos, Canadá e México. No Brasil, se apresenta frente às principais orquestrais nacionais. Dedicado à divulgação do repertório raramente apresentado, Rodrigo tem sido responsável por inúmeras primeiras audições pelos palcos que tem atuado, além de se apresentar com solistas populares, como Jon Lord e Ute Lemper. Rodrigo de Carvalho dirigiu em São Paulo as produções de O Castelo do Barba-Azul, O Urso e Palestra sobre Pássaros Aquáticos, além de Dido e Enéas, em Tatuí, onde foi o regente titular da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, na temporada 2009.



Sobre a Série TUCCA Música pela Cura
Criado em 2000, o projeto TUCCA Música pela Cura é realizado com recursos da Lei Rouanet. Anualmente, duas importantes séries musicais dentro do projeto são realizadas, sendo que toda a renda obtida com a venda de ingressos é revertida para a assistência a crianças e adolescentes carentes com câncer. Para o público adulto, a Associação realiza a Série TUCCA de Concertos Internacionais, que traz alguns dos mais importantes músicos da atualidade. Desde 2000, mais de 40 concertos foram promovidos, recebendo artistas como Maxim Vengerov, irmãs Labèque e Nelson Freire. Para o público infantil, desde 2002 a Associação promove a série Aprendiz de Maestro – a única no Brasil de música clássica para crianças –, com textos teatrais e divertidas adaptações de balés e óperas. Em oito anos, mais de 125 apresentações já foram realizadas.

Sobre a TUCCA
A TUCCA, Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer, é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que oferece tratamento de excelência a crianças e adolescentes carentes com câncer, sem custos ao paciente ou à família. Em 12 anos de atividade, a TUCCA já tratou mais de 1.200 pacientes, atingindo taxas de cura próximas a 80%, índice até 60% acima da média brasileira, igualado somente aos da Europa e dos Estados Unidos. Para otimizar recursos, a TUCCA mantém parceria com o Hospital Santa Marcelina e aplica os valores arrecadados direta e exclusivamente no que faz a diferença para oferecer o melhor tratamento e atingir os melhores resultados. Além do tratamento, atua também na pesquisa, diagnóstico precoce e capacitação de profissionais, e conta com uma equipe multidisciplinar que assiste o paciente e sua família até que fiquem completamente bem.  http://www.tucca.org.br/

Clube Caiubi, agora, nas ondas do rádio

Musica autoral brasileira no dial

Clube Caiubi, agora, nas ondas do rádio

 

Clube de compositores amplia ainda mais seu alcance, com programa de rádio veiculado em mais de 50 cidades do Oeste paulista e pela internet

 

 

Depois de conquistar um dos mais representativos espaços na Internet, com uma bem-sucedida rede social que agrega artistas do Brasil inteiro e de outros países, o Clube Caiubi de Compositores chega ao dial por meio de um programa semanal transmitido pela rádio Jovem Som FM, a mais expressiva da região de Presidente Prudente, transmitida a 50 cidades das adjacências e pela Internet (www.jovemsom.com.br). A iniciativa surgiu do jornalista Paulo Faraco que, junto com o radialista Edmilson Gomes, produz e apresenta o programa. O grande destaque musical vai para os trabalhos autorais dos membros do Clube Caiubi, abrindo um precedente ao veicular trabalhos pouco conhecidos do grande público.

 

"Montei o programa Caiubi de Compositores por acreditar que nele está o que há de melhor e mais bem organizado da nossa música. Mas nada seria possível sem a participação ativa da diretoria do Clube, e de todos os caiubistas, que não só confiaram em nós, como fizeram todo o possível para o projeto evoluir", ressalta. "Além disso, o projeto Caiubi é coletivo, portanto, transformador da sociedade, o que me atrai bastante. O Caiubi tem um grande papel, tanto pela qualidade de seus artistas, quanto por sua organização e pela grandeza daqueles que o dirigem, não temo em afirmar que este grupo pode e deve encabeçar uma revolução cultural no Brasil. O tamanho desta revolução? Só nossos esforços em conjunto poderão estimar."

 

"Estamos muito felizes de ver nosso trabalho cada vez mais absorvido pela mídia e pelo público", considera Roney Giah, um dos diretores do Clube Caiubi de Compositores. "Esse programa na rádio Jovem Som FM é mais um resultado do trabalho e da qualidade musical que há sete anos produzimos no Caiubí"

 

Sobre a Jovem Som FM

Maior rádio do Oeste Paulista Jovem Som FM está sediada na cidade e é uma rádio comercial com destaque para música popular brasileira comercial e com um forte viés cultural. Atinge cerca de 50 cidades do perímetro de Presidente Venceslau, onde está sediada e também é acessível pela Internet com grande audiência em todo o Brasil.

Sobre o Clube Caiubi

O Clube Caiubi de Compositores nasceu em 2002, no número 420 da rua de mesmo nome, no tradicional bairro das Perdizes, em São Paulo, um fervilhante pólo cultural da região, vizinha à PUC e ao teatro TUCA. O movimento, desenvolvido por talentos ainda desconhecidos, logo atraiu compositores consagrados como Tavito e Zé Rodrix - Rodrix não só passou a freqüentar assiduamente o projeto como se transformou em curador e incentivador do espaço.

 

E foi sob a batuta de Zé Rodrix que a "Segunda Autoral" expandiu, se profissionalizou e até hoje reúne compositores de várias vertentes, promovendo uma mistura democrática e – por que não? – uma fusão de estilos.

 

Aos seis anos de existência, o Clube Caiubi de Compositores lançou, em maio de 2008, o portal do Clube Caiubi - www.clubecaiubi..com.br - Destinado a compositores, músicos, poetas, produtores e intérpretes, o portal já conta com 10 mil associados pelo planeta e contabiliza 350 mil vizualizações de perfil por mês. Com a proposta de se tornar uma "vitrine" para que autores possam expor trabalhos autorais, o portal é um espaço democrático no qual os artistas podem inserir vídeos, fotos, perfis profissionais, agenda de shows e até 100 músicas no formato mp3. O acervo virtual conta com mais de 14 mil músicas, em sua maioria inéditas, cerca de 30 mil imagens e quase 5 mil vídeos.

 

A experiência paulistana com as Segundas Autorais e a criação da rede virtual, fizeram com que outros artistas se interessassem em manter Noites Autorais em outras cidades do Brasil. Hoje, o Caiubi contabiliza seis encontros regionais fixos: Fortaleza, Caxias do Sul, Rio de Janeiro, Buenos Aires, Feira de Santana e São Paulo. E sem pensar em parar, o grupo dá partida em mais um projeto, o Intercâmbio Caiubi, que pretende inaugurar um novo circuito cultural entre as cidades participantes.

 

Serviço: 

Programa Caiubi de Compositores

Rádio Jovem Som Fm - 95,1 Mhz (http://www.jovemsom.com.br)

Todas as quintas-feiras às 23:00 e reprise aos domingos à meia-noite

 

Rede Social: www.clubecaiubi.com.br

Criando âncoras musicais

Por: Alexandre Bortoletto

A audição é um sentido muito rico, ainda que nem sempre prestemos a devida atenção. E a modalidade sensorial auditiva é uma poderosa fonte ancoradora. Outro dia estava assistindo "Rocky IV" e, de repente me surgiu a ideia de apertar a tecla "mudo" do meu controle remoto. O que aconteceu foi bem interessante: as cenas de treino e de luta, geralmente inspiradoras e emocionantes, perderam a graça.

A música chamada "pano de fundo" ou incidental nos filmes funciona como uma âncora, ou seja, um estímulo específico que gera lembranças e estados físicos e mentais. A âncora pode ser uma palavra ou som, uma imagem e até mesmo uma sensação tátil. Reveja as cenas finais de grandes sucessos como ET ou Titanic sem suas músicas: será que esses filmes ainda seriam premiados ou atrairiam tanta bilheteria? Quem nunca se pegou cantarolando o jingle do comercial de TV? Ou se entristeceu com a musiquinha do Fantástico no fim do domingo?

Não existe música ruim, apenas música usada em contextos errados. Toda música tem um tempo, um ritmo, como toda experiência tem uma sequência de submodalidades, que são as qualidades sensoriais percebidas em cada um dos cinco sentidos, como cor, forma, movimento, volume, textura, temperatura, etc. É você que dá a cada batida um significado. Talvez não seja indicado ouvir Sepultura na hora de dormir, ou Bach na balada, e com certeza o "Adágio em Sol Menor" de Tomazo Albinoni não vai inspirar nenhum abdominal. Todos esses estilos podem ser explorados na criação de âncoras para o dia a dia, com o objetivo de melhorar o humor e tornar as tarefas mais prazerosas.

Como criar tudo isso? É muito simples. Para gerar uma âncora auditiva basta gerar um condicionamento estímulo-resposta direto. Podemos, por exemplo, criar um estado de concentração ao som de Tom Jobim e a partir daí mantê-lo como companhia na hora de estudar para os exames. Ou tocar a música que nos dá energia na academia para espantar o sono na hora de acordar. Vale ancorar músicas agradáveis para almoçar, dormir, dirigir (e enfrentar o trânsito de bom humor), trabalhar, meditar, estudar... Tudo na sua vida pode ter um fundo musical e todas as suas experiências podem ser como as cenas finais de um grande filme.

Alexandre Bortoletto é instrutor da SBPNL – Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística